O Trabalho Análogo ao Escravo como Subproduto do Capitalismo quando não são Atendidos os Fundamentos da Ordem Econômica

Autores

  • Marcela Andresa Semeghini Pereira Unimar
  • Lourival José de Oliveira Unimar, Uel

Palavras-chave:

Escravidão. Direito ao Lazer, Consumo, Indústria Cultural.

Resumo

As condições de escravidão permanecem na sociedade contemporânea, manifestando-se através do super-endividamento, posse da pessoa através dos contratos de trabalho, que submetem o trabalhador a condições degradantes. A homogeneização das opções de fruição do Direito ao Lazer, do comportamento e do pensamento são consequências da padronização cultural e do discurso dominante, propagados pela indústria cultural sendo fator que auxilia no conformismo do homem a condição de escravo. É importante conceituar e distinguir a escravidão ou escravidão contemporânea no intuito de demonstrar que a não efetivação dos princípios constitucionais consubstanciados no conceito de dignidade conduzem a construção do trabalho escravo, no contexto de uma nova realidade, formada a partir da noção de alienação da própria escravidão, que não é revelada, por ser apresentada e conceituada sob as matrizes de um contexto social não mais existente. Concluindo, sob o pretexto de uma sociedade aparentemente livre, desclassifica-se a existência do trabalho escravo ajustando-o às matrizes de uma sociedade de consumo. Apropriou-se do método dedutivo, com pesquisas em variadas fontes bibliográficas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lourival José de Oliveira, Unimar, Uel

Concluiu o curso de Bacharelado em Direito pela Universidade Estadual de Londrina (1988); o curso de graduação em História pela mesma Universidade(1989), mestrado em em Direito das Relações Sociais também pela Universidade Estadual de Londrina (1994) e doutorado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1999). Atualmente é professor associado do Curso de Graduação em Direito da Universidade Estadual de Londrina ; professor e coordenador do Curso de Graduação em Direito da Faculdade Paranaense e Professor do Curso de Mestrado em Direito da Universidade de Marília. Tem experiência na área de Direito do Trabalho, com ênfase em Direito das Relações Sociais, atuando principalmente nos seguintes temas: globalização e mercado de trabalho, globalização, valorização do trabalho humano, terceirização; monitoramento do empregado; ambiente de trabalho e direito empresarial com ênfase para o estudo sobre a ordem econômica e desenvolvimento social. É orientador de monografias em curso de graduação em Direito e em Cursos de pós-graduação (mestrado e especializações) . Autor de obras jurídicas e artigos científicos ligados à área. Membro de Comissões de Banca de Concurso Público para admissão de docentes em instituições públicas de ensino superior no Estado do Paraná. Lider de grupos de pesquisa em sua área de concentração. Autor de livros jurídicos e vários artigos, com participação em eventos científicos, Bancas de Defesas de Dissertações de Mestrado; consultor e membro de Conselhos Editoriais de várias revistas jurídica. Membro de Colegiado de Curso de Graduação da Universidade Estadual de Londrina.

Downloads

Publicado

2014-12-15

Como Citar

PEREIRA, M. A. S.; OLIVEIRA, L. J. de. O Trabalho Análogo ao Escravo como Subproduto do Capitalismo quando não são Atendidos os Fundamentos da Ordem Econômica. Prim Facie, [S. l.], v. 13, n. 25, p. 01–36, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/primafacie/article/view/20565. Acesso em: 21 maio. 2024.