O PACIENTE DIABÉTICO NA CLÍNICA ODONTOLÓGICA: DIRETRIZES PARA O ACOLHIMENTO E ATENDIMENTO

  • Renato Magalhães COSTA Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP).
  • Lucas Garrido TEIXEIRA
  • Eduardo AZOUBEL Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Maria Cecília Fonseca AZOUBEL Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP).
  • Flávia Carolina Gonçalves de AZEVEDO Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP).

Resumo

Introdução: Diabetes Mellitus é um grupo de doenças metabólicas que vem se tornando cada vez mais frequente na população mundial, sendo considerado um problema de saúde pública. Essa patologia pode apresentar na cavidade bucal suas primeiras manifestações, predispondo o paciente a várias alterações bucais. O cirurgião-dentista necessita conhecer a doença e conduzir um correto manejo desses pacientes. Objetivo: Propor um protocolo de atendimento e manejo odontológico para pacientes diabéticos. Desenvolvimento: Na anamnese, reunir informações sobre a doença: tipo, tempo de diagnóstico, farmacoterapia, manifestações sistêmicas e bucais, histórico de crise hipoglicêmica ou hiperglicêmica. Ao exame físico, atentar para verificação de sinais vitais, índice de massa corporal, avaliação de tecidos moles e preenchimento do odontograma e periograma. Avaliar hemoglobina glicada de pacientes previamente diagnosticados e encaminhar pacientes com suspeita para o médico. No dia da consulta, recomendar que o paciente se alimente normalmente e realize o uso de suas medicações. As consultas devem ser curtas, no início da manhã e glicosimetria deve ser realizada no início do atendimento. Pacientes compensados prescindem o uso de antibioticoprofilaxia e podem receber anestésico com vasoconstrictor adrenérgico. Em casos de urgência por crise hipoglicêmica, a mesma deve ser solucionada antes de torna-se uma emergência médica. Conclusão: Com exame clínico e complementares, coletar o máximo de informações sobre a doença para classificar o paciente em relação ao risco que apresenta ao atendimento. Pacientes compensados não necessitam de tratamento odontológico diferenciado. Pacientes descompensados não devem sofrer nenhum tratamento eletivo e devem ser tratados de acordo com as limitações presentes. DESCRITORES Diabetes Mellitus. Odontologia. Saúde Bucal. Atenção Primária à Saúde.

Biografia do Autor

Renato Magalhães COSTA, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP).
Cirurgião-dentista. Salvador/Bahia, Brasil.
Lucas Garrido TEIXEIRA
Cirurgião-dentista. Salvador/Bahia, Brasil.
Eduardo AZOUBEL, Universidade Estadual de Feira de Santana
Professor Assistente do componente curricular CTBMF na Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Feira de Santana, Bahia, Brasil.
Maria Cecília Fonseca AZOUBEL, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP).
Professora Adjunta do componente curricular Estomatologia II na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador, Bahia, Brasil.
Flávia Carolina Gonçalves de AZEVEDO, Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP).
Professora Assistente do componente curricular Estomatologia II na EBMSP, Salvador, Bahia, Brasil.
Publicado
2016-09-13
Como Citar
COSTA, R. M., TEIXEIRA, L. G., AZOUBEL, E., AZOUBEL, M. C. F., & AZEVEDO, F. C. G. de. (2016). O PACIENTE DIABÉTICO NA CLÍNICA ODONTOLÓGICA: DIRETRIZES PARA O ACOLHIMENTO E ATENDIMENTO. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 20(4), 333-340. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rbcs/article/view/19265
Seção
Revisão