ASSOCIAÇÃO DAS MANIFESTAÇÕES BUCAIS COM VARIÁVEIS SOCIODEMOGRÁFICAS E CLÍNICAS EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA

  • Maria Aparecida Amaral MUSSO Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. ES. Brasil.
  • Marcela Vieira CALMON Coordenadora do curso de Odontologia da Faculdade Pitágoras de Linhares. Espírito Santo, Brasil.
  • Larissa Dell'Antônio PEREIRA Secretaria de Estado da Saúde, Vitória, ES. Brasil.
  • Camila BRANDÃO-SOUZA Escola Paulista de Enfermagem - Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, Brasil.
  • Maria Helena Costa AMORIM Professor Titular aposentada do Departamento de Enfermagem. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. Brasil.
  • Eliana ZANDONADE Professora Titular do Departamento de Estatística. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. Brasil.
  • Maria Helena Monteiro de Barros MIOTTO Dentista. Doutora. Professor Associado II do Departamento de Odontologia. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. Brasil.

Resumo

Objetivos: Avaliar prevalência de doenças bucais e sua associação com variáveis sociodemográficas e clínicas em mulheres com diagnóstico de câncer de mama e em tratamento. Material e Métodos: Trata-se de um estudo analítico, transversal, composto por 89 participantes. Foi realizado exame clínico – cárie, xerostomia, gengivite e afta; entrevista utilizando um roteiro semiestruturado para coleta de dados. Realizou-se análise descritiva dos dados. Os testes exato de Fisher e qui-quadrado foram utilizados para verificar possíveis associações, considerou-se nível de significância de 5%. Resultados: Mulheres acima de 50 anos de idade representaram 25,8% da população estudada, ensino fundamental incompleto (36%), raça/cor branca (64%), condição socioeconômica C (57,3%) e renda de até dois salários mínimos (38,2%). Houve predomínio da necessidade de uso de prótese (60,7%) devido ao grande número de dentes perdidos (média de 17,9). As pacientes com maior faixa etária apresentaram maior prevalência de xerostomia e maior número de dentes extraídos. Conclusão: Houve alterações bucais de associação aos tratamentos do câncer, como a necessidade de próteses dentárias, xerostomia, gengivites e aftas. Com o aumento da faixa etária, aumentou-se também a extração dos dentes, a prevalência da xerostomia e da gengivite. Xerostomia esteve associada a raça/cor branca e uso de anti-hipertensivos. DESCRITORES Saúde Bucal.Cárie Dentária.Xerostomia.Gengivite.Neoplasias da Mama.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Amaral MUSSO, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. ES. Brasil.
Dentista. Mestre. Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. ES. Brasil.
Marcela Vieira CALMON, Coordenadora do curso de Odontologia da Faculdade Pitágoras de Linhares. Espírito Santo, Brasil.
Dentista. Mestre. Coordenadora do curso de Odontologia da Faculdade Pitágoras de Linhares. Espírito Santo, Brasil.
Larissa Dell'Antônio PEREIRA, Secretaria de Estado da Saúde, Vitória, ES. Brasil.
Enfermeira. Mestre. Secretaria de Estado da Saúde. Vitória, ES. Brasil.
Camila BRANDÃO-SOUZA, Escola Paulista de Enfermagem - Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, Brasil.
Enfermeira. Mestre e Doutoranda em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, Brasil.
Maria Helena Costa AMORIM, Professor Titular aposentada do Departamento de Enfermagem. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. Brasil.
Enfermeira. Doutora. Professor Titular. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. Brasil.
Eliana ZANDONADE, Professora Titular do Departamento de Estatística. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. Brasil.
Estatística. Doutora. Professora Titular do Departamento de Estatística. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória.
Maria Helena Monteiro de Barros MIOTTO, Dentista. Doutora. Professor Associado II do Departamento de Odontologia. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. Brasil.
Dentista. Doutora. Professor Associado II. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória. Brasil.
Publicado
2018-04-13
Como Citar
MUSSO, M. A. A., CALMON, M. V., PEREIRA, L. D., BRANDÃO-SOUZA, C., AMORIM, M. H. C., ZANDONADE, E., & MIOTTO, M. H. M. de B. (2018). ASSOCIAÇÃO DAS MANIFESTAÇÕES BUCAIS COM VARIÁVEIS SOCIODEMOGRÁFICAS E CLÍNICAS EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA. Revista Brasileira De Ciências Da Saúde, 22(3), 203-212. https://doi.org/10.22478/ufpb.2317-6032.2018v22n3.35660
Seção
Pesquisa