José Craveirinha: revolta contra o estado de colônia e perspectiva Pós-colonial

  • André Boniatti

Resumo

Maior dos poetas de Moçambique, como o clamam em suas terras, José Craveirinha é voz de protesto frente ao estado colonial, resultando-lhe poesia de força lírica imarcescível. Seus poemas fazem denúncia de um processo massacrante de imposição cultural, que levou o homem colonizado à proposta de redução absoluta de sua cultura ao status quo do colonizador. Assim, em poemas como “África”, “A boca”, “Cantiga do batelão” e “Poemeto”, traz à tona ardentemente o tom de recusa à submissão, apontando para um levante em razão da superação de seu estado de aprisionamento cultural. Refletindo em meio à luta anticolonialista em Moçambique,as ideias Pós-coloniais, traçadas por autores como Frantz Fanon e Homi K. Bhabha, entre outros. O presente estudo direciona-se a demonstrar como as teorias pós-colonialistas podem encontrar no poeta de análise um suporte. Ademais, a demonstrar esses aspectos presentes fortemente na obra de nosso poeta, fazendo-o uma vez mais, em seu mérito, brilhar.

Palavras-chave: José Craveirinha. Poesia. Pós-colonialismo.

Publicado
2014-12-20
Seção
Artigos