ROMPENDO O SILÊNCIO: a informação no espaço LGBT do estado da Paraíba

  • Adeilton Alves Calixto UFPB
  • Gisele Rocha Côrtes UFPB
  • Gilberta Santos Soares UFPB
Palavras-chave: Arquivologia. Informação e Discriminação. Homofobia. Espaço LGBT – Paraiba.

Resumo

Apresenta o Centro Estadual de Referência dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexual e Transexuais e Enfrentamento à Homofobia da Paraíba (Espaço LGBT). Visa traçar o perfil dos(as) usuários(as) do órgão e disponibilizar informações estatísticas sobre as violências homofóbicas. A ausência de informações oficiais a respeito do perfil dos(as) usuários(as) dos serviços específicos de atendimento e sobre o contexto das discriminações e preconceitos contra a população LGBT configura-se como um dos desafios para o enfrentamento e a prevenção da homofobia, o que torna a mediação do(a) profissional arquivista fundamental para potencializar o fluxo informacional. Utilizou-se a pesquisa de tipo descritiva e natureza quantitativa, de fontes documentais, mais especificamente nos arquivos correntes (analógico e digital) com fichas de atendimento dos(as) 781 usuários(as) do período de 2011 a 2014. Para a análise dos dados utilizou-se a estatística descritiva. Verificou-se, por meio dos dados quantitativos produzidos, que a vulnerabilidade e exclusão permeiam a população LGBT atendida e que as políticas públicas poderão ser aperfeiçoadas se forem implementadas, tendo como base informações confiáveis. Desta forma, a articulação da Arquivologia com a temática LGBT e presença do arquivista em unidades informacionais não tradicionais como o espaço LGBT é primordial para o enfrentamento a homofobia e aos mais diversos tipos de desigualdades.

Biografia do Autor

Adeilton Alves Calixto, UFPB
Bacharel em Arquivologia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB).
Gisele Rocha Côrtes, UFPB
Professora Doutora do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba.
Gilberta Santos Soares, UFPB

Doutora pelo Programa de Pós Graduação em Estudos Interdisciplinares sobre Mulheres, Gênero e Feminismo - PPGNEIM/ UFBA. Secretária de Estado da Mulher e da Diversidade Humana do Estado da Paraíba.

Referências

BARRETO, Aldo de Albuquerque. A transferência de informação para o conhecimento. In: AQUINO, Mirian de Albuquerque (Org.). O campo da ciência da informação: gêneses, conexões e especificidades. João Pessoa: Editora Universitária, 2002. p. 101-116.

BELLOTO, Heloísa Liberalli. Arquivologia: objetivos e objetos. 2009. Disponível em: <https://arquivoememoria.files.wordpress.com/2009/04/arquivologiaobjetivosobjeto.pdf>. Acesso em: 04 out. 2016.

BENTO, Berenice. O que é transexualidade. São Paulo: Brasiliense, 2008.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Texto-base da conferência nacional de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. Brasília: SEDH, 2007. Disponível em: <http://www.sdh.gov.br/sobre/participacao-social/cncd-lgbt/conferencias/texto-base-1a-conferencia-nacional-lgbt-1>. Acesso em: 10 nov. 2016.

BORGES, Zulmira Newlands; MEYER, Dagmar Estermann. Limites e possibilidades de uma ação educativa na redução da vulnerabilidade à violência e à homofobia. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 16, n. 58, p. 59-76, jan./mar. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v16n58/a05v1658.pdf>. Acesso em 27 nov. 2016.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

CARVALHO, Maria Eulina Pessoa de; ANDRADE, Fernando Cézar Bezerra de; JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Gênero e diversidade sexual: um glossário. João Pessoa: Editora da UFPB, 2009.

CERVO, Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; SILVA, Roberto da. Metodologia cientifica. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall. 2007.

COLLING, Leandro. Teoria queer. In: ALMEIDA, Maria Candido Ferreira (Org.). Mais definições em trânsito. Salvador: Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, 2011. Disponível em: <http://www.cult.ufba.br/maisdefinicoes/TEORIAQUEER.pdf>. Acesso em: 06 set. 2016.

DARDE, Vicente William da Silva. A construção de sentidos sobre a homossexualidade na mídia brasileira. Em Questão: Revista da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS, Porto Alegre, v. 14, n. 2, p. 223-234, jul./dez. 2008. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/3109/4870 >. Acesso em: 10 nov. 2016.

DUARTE, Zeny. Arquivo e arquivista: conceituação e perfil profissional. Revista da Faculdade de Letras Ciências e Técnicas do Património, Porto, v. 5-6, n.1, p. 141-151, 2007. Disponível em:<http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/6624.pdf>. Acesso: 20 out. 2016.

FRANCO, José Luiz de Morais; GONTIJO, Fabiano Souza. Memórias do Movimento LGBT: da sociedade Mattachine ao estado do Pará, a conquista de direitos e suas demandas sociais. Disponível em: <http://eventos.livera.com.br/trabalho/98-1020836_30_06_2015_16-30-56_1695.PDF>. Acesso em: 19 nov. 2015.

GREEN, James N. “Mais amor e mais tesão”: a construção de um movimento brasileiro de gays, lésbicas e travestis. Cardernos Pagu, v. 15, p. 271-295, 2000. Disponível em: <http://www.clam.org.br/bibliotecadigital/uploads/publicacoes/1777_1740_cadpagu_2000_15_12_GREEN.pdf> Acesso em: 01 out. 2016.

GRUPO GAY DA BAHIA. Assassinato de homossexuais (LGBT) no Brasil: Relatório 2014. Salvador: Grupo Gay da Bahia, 2016.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/1230/Guacira-Lopes-Louro-O-Corpo-Educado-pdf-rev.pdf?sequence=1>. Acesso em. 04 out. 2015.

_______. O corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MARTELETO, Regina Maria. Jovens, violência e saúde: construção de informações nos processos de mediação e apropriação de conhecimentos. RECIIS: Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde, Rio de Janeiro, v. 3, n. 3, p. 17-24, set. 2004. Disponível em: <http://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/751/1393>. Acesso em: 30 mar. 2016.

MELLO, Luiz; AVELAR, Rezende Bruno da; MAROJA, Daniela. Por onde andam as Políticas Públicas para a população LGBT no Brasil. Revisa Sociedade e Estado, v. 27, n. 2, p. 289-312, maio/ago. 2012. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/se/v27n2/a05v27n2.pdf>. Acesso em: 02 out. 2015.

MINAYO, Maria Cecília; SANCHES, Odécio. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade? Caderno de Saúde Pública, São Paulo, v. 9, n. 3, p. 239-262, jul./set. 1999. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/csp/v9n3/02.pdf>. Acesso em: 02 out. 2015.

MOTT, Luis. Homo-afetividade e direitos humanos. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 14, n. 12, p. 509-521, maio/ago. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ref/v14n2/a11v14n2.pdf>. Acesso em: 10 out. 2016.

PEREIRA, Adriana Jimenez; NICHIATA, Lúcia Yazuko Izumi. A sociedade civil contra a Aids: demandas coletivas e políticas públicas. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 7, p. 3249-3257, 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n7/24.pdf>. Acesso em: 20 out. 2015.

REIS, Toni. Avanços e desafios para os direitos humanos das pessoas LGBT. 2011. Disponível em: <http://www.tonireis.com.br/wp-content/uploads/2014/06/avancos.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2015.

SILVA, Irisneide de Oliveira Souza; FUJITA, Mariângela Spotti Lopes; DAL’EVEDOVE, Paula Regina. A relação entre arquivística e ciência da informação na sociedade pós-moderna. Ibersid, v. 3, p. 281-289, 2009. Disponível em: <http://www.ibersid.eu/ojs/index.php/ibersid/article/download/3751/3512>. Acesso em: 10 out. 2016.

SIMÕES, Júlio Assis; FACCHINI, Regina. Na trilha do arco-íris: do movimento homossexual ao LGBT. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2009.

Publicado
2016-12-31
Como Citar
CALIXTO, A. A.; CÔRTES, G. R.; SOARES, G. S. ROMPENDO O SILÊNCIO: a informação no espaço LGBT do estado da Paraíba. Archeion Online, v. 4, n. 2, p. 83-105, 31 dez. 2016.
Seção
Relatos de Pesquisa