ESTRUTURA DA CARREIRA EM ARQUIVOLOGIA

contribuição da Classificação Brasileira de Ocupações (CBO)

Autores

  • Alan de Oliveira Correia UFBA
  • Carla Fernandes de Souza

Resumo

Analisa aspectos da carreira em Arquivologia no Brasil apontados pela Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Ressalta a gênese descrita, a estruturação das atividades e os níveis profissionais encontrados, bem como as atividades correlacionadas para os bacharéis em Arquivologia, Técnicos de Arquivo ou Auxiliares de Arquivo, destacando o mercado de trabalho em relação aos perfis demandados. O percurso metodológico levou em conta o critério bibliográfico, seguido de estudo de caso. Embora a CBO determine as funções de cada nível, ainda não existe uma diferenciação entre os cargos de qualificação profissional no mercado de trabalho. Assim, aponta-se a necessidade de consonância entre o mercado de trabalho e a legislação vigente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alan de Oliveira Correia, UFBA

Arquivista e Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Bahia – UFBA. Servidor Público e Gestor de Documentos da Secretaria de Saúde da Prefeitura Municipal de Goiana – PE. Atualmente desenvolve atividades de recebimento e expedição de documentos, classificação e ordenação dos arquivos, organização e conservação do acervo, indexação e digitalização de documentos dos Contratos das Unidades Municipais de Saúde e documentos dos Termos Aditivos de Prorrogação da Vigência de Contratos Temporários dos: Centros de Atenção Psicossocial – CAPS; Centro de Testagem e Aconselhamento – CTA; Núcleo de Apoio à Saúde da Família - NASF; Serviços de Atenção Domiciliar - SAD; Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU; Vigilância Sanitária; Policlínica; Centro de Especialidades Odontológicas - CEO; dentre outros. Foi bolsista Fapesb e Participante do grupo de pesquisa GEINFO Saberes e Fazeres em Informação e Conhecimento, investigando nas áreas de planejamento, gestão e avaliação de unidades de informação.

Carla Fernandes de Souza

Currículo lattes:  http://lattes.cnpq.br/2158460571605903

Referências

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. (Publicações Técnicas; n. 51).

BELLOTTO, H. L. Arquivo: estudos e reflexões. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2014.

BELLOTTO, H. L. O Arquivista na sociedade contemporânea. In: BELLOTTO, H. L. Arquivos Permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006. p.298-306.

BELLUZZO, R. C. B. As competências do profissional da informação nas organizações contemporâneas. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação: Nova Série, São Paulo, v.7, n.1, p. 58-73, jan./jun. 2011. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/180. Acesso em: 10 fev. 2022.

BRASIL. Lei nº. 6.546, de 4 de julho de 1978. Dispõe sobre a regulamentação das profissões de Arquivista e de Técnico de Arquivo, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 05 jul. 1978. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1970-1979/L6546.htm. Acesso em: 7 mar. 2022.

BRASIL. Lei nº. 8.159, de 08 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 jan.1991, Seção 1, p. 455. (Regulamentada pelo Decreto nº 4.073, de 03 jan. 2002).

COSTA, L. C. Entre a formação e o trabalho: o arquivista diante das novas demandas sociais e organizacionais em matéria de informação. 2008. 168 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2008.

JARDIM, J. M. A formação do arquivista na sociedade da informação. In: CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS, 7., Porto, 23-25 maio 2001. Actas... Porto: BAD, 2001. Disponível em: https://publicacoes.bad.pt/revistas/index.php/congressosbad/article/view/707/706. Acesso em: 16 fev. 2016.

RICHTER, E. I. S.; GARCIA, O. M.C.; PENNA, E. F. O Arquivista. In: Introdução à Arquivologia. 2. ed. Santa Maria, RS: FACOS-UFSM: 2004. p. 110.

SANTOS, J. P.; NEVES, I. C. B.; JOB, I. A estrutura da carreira em Biblioteconomia: contribuição à Classificação Brasileira de Ocupações. Em Questão, Porto Alegre, v. 10, n. 1, p. 41–62, 2006. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/82. Acesso em: 10 abr. 2022.

SANTOS, V. B. O Arquivista como profissional da informação. In: Arquivística temas contemporâneos: classificação, preservação digital, gestão do conhecimento. 3. ed. Brasília. DF: SENAC, 2009. p. 173-222.

SCHÄFER, M. B.; SANCHES, M. A. B. A relação do Arquivista com a gestão do conhecimento: análise em uma instituição pública federal. Inf. Inf., Londrina, v. 19, n. 1, p. 206-224, jan./abr. 2014. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/11451. Acesso em: 06 mar. 2022.

SOUZA, K. I. M. Arquivista, visibilidade profissional: formação, associativismo e mercado de trabalho. Brasília, DF: Starprint, 2011.

VALENTIM, M. L. P. O moderno profissional da informação: formação e perspectiva profissional. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da informação, v. 5, n. 9, p. 16-28, 2000. Disponível em: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2000v5n9p16. Acesso em: 10 fev. 2022.

Arquivos adicionais

Publicado

30-06-2022

Como Citar

DE OLIVEIRA CORREIA, A.; FERNANDES DE SOUZA, C. ESTRUTURA DA CARREIRA EM ARQUIVOLOGIA: contribuição da Classificação Brasileira de Ocupações (CBO). Archeion Online, [S. l.], v. 10, n. 1, p. 95–111, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/archeion/article/view/62630. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Relatos de Pesquisa