A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA DISCIPLINA: o "primitivo" como objeto da ciência

Palavras-chave: Antropologia, Institucionalização, Ciência, Povos Primitivos

Resumo

 O presente ensaio discorre sobre a emergência da antropologia como um campo específico do saber institucionalizado na Europa e Estados Unidos, denominada como a Ciência do Homem. O fio condutor do artigo é o processo de institucionalização da disciplina que institui, inicialmente, os povos colonizados, povos ditos primitivos ou arcaicos como objeto da ciência. A antropologia se constitui no final do século XIX como uma disciplina acadêmica que começa a ser ensinada nas universidades dos três centros difusores, a saber, Inglaterra, Estados Unidos e França. O espectro temporal abrange o final do século XIX e as primeiras três décadas do século XX.

Biografia do Autor

Alícia Ferreira Gonçalves

Graduação em Ciências Sociais pela Unicamp. Mestre em Política Científica e Tecnológica - Departamento de Política Científica e Tecnológica - IG- Unicamp. Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Pós Doutora em Antropologia Social por Ciesas/Sureste. Professora Associada II na Universidade Federal da Paraíba, Departamento de Ciências Sociais - Programa de Pós Graduação Em Antropologia (PPGA). Linhas de pesquisa: "Políticas Sociais e Desenvolvimento" e "Território, Identidade e Meio Ambiente". Coordenadora do Grupo Interdisciplinar em Cultura, Sociedade e Ambiente" (GIPCSA). Em 2017 coordenou a Escola de Altos Estudos: "Sociedade, Cultura e Ambiente" na UFPB com patrocínio da Capes.

Publicado
2020-12-11
Como Citar
GONÇALVES, A. F. A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA DISCIPLINA: o "primitivo" como objeto da ciência . CAOS – Revista Eletrônica de Ciências Sociais, v. 2, n. 25, p. 149-169, 11 dez. 2020.