Que corpo é esse?

Analisando as narrativas e as performances midiáticas fabricadas em torno de Jojo Todynho

Autores

Palavras-chave:

Performance, Mulheres Negras, Corporeidade, Autenticidade

Resumo

Sob a luz da percepção em compreender performance enquanto método de pesquisa, como proposto por Amaral, Soares e Polivanov (2018), esse trabalho foi influenciado a entender como essa dinâmica poderia ser aplicada as narrativas performáticas relacionadas a cantora de funk, Jordana Gleise de Jesus Menezes, mais conhecida como Jojo Todynho. Como proposto pelos autores, foram utilizados dois percursos metodológicos: 1) Um que dê conta de entender as narrativas em torno de atos performáticos arquivados, recuperando-se para isso matérias da indústria de entretenimento que apresentam uma narrativa da cantora de forma pejorativa e animalesca; 2) Outro que nos permita evocar performance como política identitária diante de políticas de visibilidade (o que se registra e com quais propósitos). Para isso, pinçamos das redes sociais da cantora (Instagram) uma participação na Semana de Alta Costura em Paris. “(...) se eventos são performances, poderíamos debater o que se está performatizando nestes espaços” (AMARAL; SOARES E POLIVANOV, 2018). Ainda que os autores estejam se referindo a eventos musicais, pareceu interessante buscar na moda esse comparativo à medida que foi a segunda vez que Jordana esteve naquele espaço. Ainda que mude os atores (GOFFMAN, 1975), o roteiro performático não é novidade para ela. E pelo viés da Moda conseguimos tensionar outros temas como estética e corporeidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Carrera , Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Cultura da UFRJ e do Programa de Pós-graduação em Comunicação da UFF. Líder do LIDD – Laboratório de Identidades Digitais e Diversidade – LIDD/UFRJ. Bolsista Produtividade em Pesquisa Nível 2 – CNPq. Doutora em Comunicação pelo PPGCOM/UFF.

Flávia da Silva Fontes, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Mestranda em Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense (UFF). Graduada em Publicidade e Propaganda pela Estácio e em Produção Cultural pela UFF.

Referências

AMARAL, Adriana; POLIVANOV, Beatriz; SOARES, Thiago. Disputas sobre performance nos estudos de Comunicação: desafios teóricos, derivas metodológicas. Intercom: Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, São Paulo, v.41, n.1, pp.63-79, 2018. DOI 10.1590/1809-5844201813

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Trad Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989

DAMACENO, Janaína. O corpo do outro. Construções raciais e imagens de controle do corpo feminino negro: o caso da Vênus Hotentote. Florianópolis, pp.1-7,2008

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Rio de Janeiro, Vozes, 1975.

GONZALEZ, Lélia. A categoria político-cultural de amefricanidade. Tempo Brasileiro, Rio de Janeiro, n. 92-3, pp. 69-82, jan./jun. 1988.

HOOKS, bell. Olhares negros: raça e representação; tradução de Stephanie Borges. São Paulo, Elefante; 356p. 2019

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Editora Cobogó, 2020.

OYEWÙMÍ, Oyèrónké. A invenção das mulheres: construindo um sentido africano para os discursos ocidentais de gênero. Rio de Janeiro: Bazar do Tempo, 2021.

PAIXÃO-ROCHA, Pedro; SIMÕES, Paula Guimarães. A celebridade é política? Movimentos de politização e despolitização entre Anitta e seus públicos. Revista ECO-Pós, v.24, n.2, pp. 201-225, 2021. DOI: https://doi.org/10.29146/ecopos.v24i2.27702

PAVÃO, Claudielle. Fora do compasso: estereótipos sobre as passistas na imprensa do Rio de Janeiro dos anos 1980. 2021. Dissertação. Mestrado em História - PPHR, UFRRJ, Rio de Janeiro, 2021

PEREIRA DE SÁ, Simone; POLIVANOV, Beatriz. Auto-reflexividade, coerência expressiva e performance como categorias para análise dos sites de redes sociais. Revista Contemporânea, v.10, n.3, pp.574-596, 2012. DOI: 10.9771/1809-9386

Downloads

Publicado

2023-12-22

Como Citar

CARRERA, F. .; FONTES, F. da S. Que corpo é esse? Analisando as narrativas e as performances midiáticas fabricadas em torno de Jojo Todynho. Culturas Midiáticas, [S. l.], v. 20, p. 98–115, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/cm/article/view/67807. Acesso em: 23 jun. 2024.