A INCORPORAÇÃO DOS SINAIS DA INCERTEZA NA EDUCAÇÃO A PARTIR DO CONCEITO DE MEDO LÍQUIDO DE BAUMAN

  • Marcio Giusti Trevisol Unoesc - Universidade do Oeste de Santa Catarina
  • Altair Alberto Fávero UPF - Universidade de Passo Fundo
  • Rogério Augusto Bilibio Unoesc - Universidade do Oeste de Santa Catarina

Resumo

O presente ensaio é resultado de discussões realizadas no Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Superior – GEPES/UPF no ano de 2017 e discute a incorporação dos sinais da incerteza presentes no cenário do século XXI na educação. O medo e a insegurança potencializados na modernidade se tornaram centrais para a definição comportamental dos indivíduos, na reestruturação das instituições e no planejamento de novos negócios e ações sustentáveis para o futuro. Neste contexto, a escritura investigativa pretende aproximar o conceito de medo líquido de Bauman com a educação, como pressuposto reflexivo para entender como as instituições educacionais estão incorporando os sinais de incerteza por meio do aparelhamento protetivo. De tal forma, cabe responder a seguinte pergunta: Quais as consequências pedagógicas da incorporação da incerteza para as experiências formativas dos alunos? Para responder a essas inquietações realizamos uma pesquisa teórico-bibliográfica e documental tomando como ponto de partida os escritos do pensador contemporâneo Bauman (2008, 2009). Assim, no decorrer do trabalho situamos como a educação foi incorporando os sinais de incerteza próprios da modernidade a partir do conceito de medo líquido desenvolvido por Bauman.Palavras-chave: Educação. Formação. Incerteza. Medo líquido.

Biografia do Autor

Marcio Giusti Trevisol, Unoesc - Universidade do Oeste de Santa Catarina
Doutorando em Educação na Universidade de Passo Fundo (UPF). Mestre em Ética e Filosofia Política (UFSC). Especialista em metodologia do Ensino de Filosofia para Universidade de Passo Fundo (UPF). Graduado em Filosofia pelo Centro Universitário Assunção (UNIFAI). Atualmente é professor da Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc), atuando nas áreas de filosofia e sociologia. Desenvolve atividades de extensão Universitária com enfoque a formação de professores das redes pública e privada de ensino. Na pesquisa, desenvolve estudos na área da educação e comunicação. Atualmente é líder do grupo de pesquisa “Comunicação, Mídia e Sociedade”. Membro e pesquisador do grupo de pesquisa GEPES –UPF (Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Superior). Participa da Rede ibero-americana de estudos e pesquisas em políticas, processos de educação superior – RIEPPES – Unoesc/Unicamp e do Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas de Educação Superior da Região Sul – GEPPES SUL, ambos sediados na PPGEd da Unoesc. E-mail: marcio.trevisol@unoesc.edu.br
Altair Alberto Fávero, UPF - Universidade de Passo Fundo
Possui Pós-Doutorado (Bolsista Capes) pela Universidad Autónoma del Estado de México (UAEMéx), Doutorado em Educação (UFRGS), Mestre em Filosofia do Conhecimento (PUC/RS), Especialista em Epistemologia das Ciências Sociais (UPF) e Graduado em Filosofia (UPF). Atua como professor e pesquisador no Curso de Filosofia, no Mestrado e Doutorado em Educação da UPF, onde coordena o projeto de Pesquisa Docência Universitária, políticas educacionais e expansão da educação superior: perspectivas e desafios (em andamento desde março de 2012). E-mail: altairfavero@gmail.com
Rogério Augusto Bilibio, Unoesc - Universidade do Oeste de Santa Catarina
Doutorando em História na Universidade de Passo Fundo (UPF). Mestre em História Regional (UPF). Especialista em Educação Infantil e Séries Iniciais – (IBPEX). Graduado em História pela Unoesc – Universidade do Oeste de Santa Catarina. Atualmente é professor da Unoesc, nos cursos de Direito, Psicologia e Fisioterapia, atuando nas áreas de Filosofia, Sociologia, Antropologia, Direitos Humanos, Ciências Sociais e Pensamento jus-filosófico. Coordenou a CPA da Unoesc entre os anos de 2010 a 2017. O foco da pesquisa são as áreas da educação e história, notadamente os processos sócios históricos da atuação e formação docente. E-mail: rogerio.bilibio@unoesc.edu.br.

Referências

APÓS tiroteios e assassinato, escola de Porto Alegre terá só duas horas de aulas por turno. Disponível em: https://gauchazh.clicrbs.com.br/geral/noticia/2016/03/

apos-tiroteios-e-assassinato-escola-de-porto-alegre-tera-so-duas-horas-de-aulas-por-turno-5612988.html. Acesso em 18 de abril de 2018.

BAUMAN, Zygmunt. Vida Líquida. 2.ed.rev. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

_________________. Medo líquido. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a outra modernidade. 2.ed. São Paulo: Editora Saraiva, 1986. P. 34.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 95, de dezembro de 2016. Disponível em: camara.leg.br/legin/fed/emecon/2016/emendaconstitucional-95-15-dezembro-2016-784029-publicacaooriginal-151558-pl.html. Acesso em: 10 de mai. 2018

BRASIL. Decreto nº 9.288, de fevereiro de 2018. Disponível em: camara.leg.br/legin/fed/decret/2018/decreto-9288-16-fevereiro-2018-786175-publicacaooriginal-154875-pe.html. Acesso em: 20 de março. 2018

CHARLOT, Bernard. Da relação com o Saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

COM aumento da violência, número de blindagens de carros subiu 43% no Rio. Acessado em 16 de abril de 2018. Endereço: oglobo.globo.com/rio/com-aumento-da-

violência-número-de-blindagens-de-carros-subiu-43-no-rio- 0384276#ixzz5DcUerHbN.

DIGIACOMO, Murilo José. Violência nas escolas: sugestões para o enfrentamento do problema. Ministério Público do Paraná. Disponível em: http://www.crianca.mppr.mp.br/pagina-830.html. Acesso em 15 de abril de 2018.

BECK, Ulrich; GIDDENS, Anthony; LASH, Scott. Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo: Unesp, 1997

ELLIN, Nan. Good Urbanism: six steps to creating prosperous place. Utah: Island Press, 2002.

SOUZA, Mirian Rodrigues. Violência nas escolas: causas e consequências. Revista brasileira de sociologia do Direito, n. 2, p. 119-136, 2008.

Publicado
2019-03-05
Como Citar
Trevisol, M. G., Fávero, A. A., & Bilibio, R. A. (2019). A INCORPORAÇÃO DOS SINAIS DA INCERTEZA NA EDUCAÇÃO A PARTIR DO CONCEITO DE MEDO LÍQUIDO DE BAUMAN. Revista Educare, 3(1), 56-74. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/educare/article/view/43879
Seção
Sociologia da Educação