Trabalhos flexíveis, vidas flexíveis? Trabalho e laços sociais nas trajetórias de trabalhadores qualificados migrantes na modernidade avançada

  • Giuliana Franco Leal Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus UFRJ-Macaé Professor Aloisio Teixeira

Resumo

Neste artigo, discute-se, com apoio em pesquisa empírica de caráter qualitativo e exploratório, em que medida e de que maneiras a flexibilidade se faz presente na vida e no ethos de indivíduos que hipoteticamente têm grande possibilidade de vivenciarem relações de trabalho e outras relações sociais flexíveis (trabalhadores migrantes com nível superior, que ingressaram no mercado de trabalho nos últimos trinta anos). Constatou-se, entre eles, forte flexibilidade na esfera do trabalho e na sua intersecção com outras esferas da vida, bem como enfraquecimento de laços sociais. Contudo, a flexibilidade só aparece parcialmente no ethos desses indivíduos, pois há resistência a ela quando seu significado é a perda de controle sobre a própria vida. As estratégias de resistência são, porém, limitadas, por serem construídas e aplicadas individualmente.

Biografia do Autor

Giuliana Franco Leal, Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus UFRJ-Macaé Professor Aloisio Teixeira
Professora de Sociologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus UFRJ-Macaé Professor Aloisio Teixeira
Publicado
2015-06-30
Como Citar
Franco Leal, G. (2015). Trabalhos flexíveis, vidas flexíveis? Trabalho e laços sociais nas trajetórias de trabalhadores qualificados migrantes na modernidade avançada. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA & TRABALHO, 1(42). Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/politicaetrabalho/article/view/17010