Exclusão e violência letal: interiorização da violência homicida no Brasil

  • Vanderlan Silva ufcg

Resumo

Este texto é resultado de pesquisa realizada em Campina Grande-PB. Em 2010 a cidade tinha taxa de 48 homicídios por cem mil habitantes. Isso nos estimulou a desenvolver a pesquisa dos crimes durante 2009 e 2010. Buscou-se identificar os perfis socioculturais das vítimas. A coleta de dados foi realizada no Instituto de Medicina Legal, Polícia Civil (BO´s) e nos jornais Diário de Borborema e Jornal da Paraíba. A análise dos dados revelou que a violência atinge desigualmente os segmentos da população. Entre mais de 300 mortes, a maioria era de jovens negros da periferia, com baixa escolaridade. Boa parte era solteira e tinha entre 13 e 24 anos, sendo vitimadas por armas de fogo em mais de 80%. A realidade homicida é resultado do conjunto das transformações econômicas e sociais que aumentaram o acirramento e o acesso da população ao consumo, a serviços e a bens legais e ilegais.

Biografia do Autor

Vanderlan Silva, ufcg
Professor adjunto de antropologia da ufcg.
Publicado
2015-06-30
Como Citar
Silva, V. (2015). Exclusão e violência letal: interiorização da violência homicida no Brasil. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA & TRABALHO, 1(42). Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/politicaetrabalho/article/view/19304