Viver com (e apesar de) a doença: apontamentos sobre a experiência do adoecimento crônico entre diabéticos da ADJP/PB, Brasil

  • Ednalva Neves PPGA-PPGS/UFPB

Resumo

Texto traz uma reflexão acerca da experiência de viver com a doença, a partir de pesquisa de campo realizada junto à Associação de Diabéticos de João Pessoa, estado da Paraíba. Nas reuniões mensais, acompanhadas desde 2009, observei temas, conversas informais, ritualística das reuniões. Trata-se de uma experiência multiforme, dependente de aspectos como: subjetividades, condições de vida e rede de apoio. O “acontecimento” marcante é o diagnóstico médico, pensado como “cair na real”, existencial e social, atingindo hábitos e relações sociais. A reconstrução de si passa pela elaboração de uma sensibilidade, articulando: sensações corporais, gestão do prazer da comida, expectativa de cura e resistência aos: controles (biomédico, familiar, social), preconceitos e culpabilização. As estratégias cotidianas demarcam “rupturas” (biográficas e relacionais, normativas e morais), se conformam num processo de viver com e apesar, aliando: “tempo de doença”, sensações corporais e gestão de si como contínuo empreendimento de positivação da vida.

Biografia do Autor

Ednalva Neves, PPGA-PPGS/UFPB
Profa. do DCS/CCHLA/UFPB Integrante do MANDACARU e GRUPESSC
Publicado
2015-06-30
Como Citar
Neves, E. (2015). Viver com (e apesar de) a doença: apontamentos sobre a experiência do adoecimento crônico entre diabéticos da ADJP/PB, Brasil. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA & TRABALHO, 1(42). Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/politicaetrabalho/article/view/22790
Seção
Nº 42 - DOSSIÊ ANTROPOLOGIA DAS DOENÇAS DE LONGA DURAÇÃO