Chega de Samba: estratégias de recriação da identidade pelas brasileiras em Pequim

  • Tereza Correia da Nóbrega Queiroz
  • Ana Carolina Costa Porto

Resumo

As discussões sobre a migração brasileira para diversos países receptores na América e na Europa são bastante frequentes. Poucas pesquisas, porém, se debruçaram sobre a migração brasileira para a China. Por esta razão, este artigo, tem como intuito analisar as trajetórias migratórias de 5 brasileiras para Pequim e utilizá-las como metonímia para a migração de diversas brasileiras para a capital da República Popular da China. O objetivo inicial da pesquisa era estudar a comunidade brasileira como um todo, mas as mulheres representam um papel muito mais significativo na reconstrução da identidade brasileira, na medida em que são elas que estão à frente da principal organização representante dos brasileiros, o Brapeq. Para tanto, realizamos entrevistas narrativas com mulheres de distintas faixas etárias, classes sociais, estilos de vida e que também apresentavam diferentes experiências de migração. Por meio das entrevistas narrativas, realizadas em cafés, restaurantes, ou na casa das entrevistadas, e das entrevistas em trânsito, buscamos narrar a história de vida dessas mulheres para compreender como cada trajetória migratória conduz a uma construção diferente do que é a identidade brasileira. A pesquisa evidenciou que as mulheres querem afastar-se do estereótipo do Brasil como o país do samba, do carnaval e da mulata. Entre a maioria das entrevistadas há uma busca pela criação de uma imagem do Brasil que não passa pela interface com esses elementos culturais. Em outras palavras, há uma tentativa de reconfiguração da identidade da mulher brasileira associada ao mundo do trabalho, à independência e a uma cultura mais refinada e elitista.
Publicado
2015-06-30
Como Citar
Queiroz, T. C. da N., & Porto, A. C. C. (2015). Chega de Samba: estratégias de recriação da identidade pelas brasileiras em Pequim. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA & TRABALHO, 1(42). Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/politicaetrabalho/article/view/25391