MASCULINIDADES PETROLEIRAS

Trabalho e Gênero na Argentina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1517-5901.2021v1n54.53175

Resumo

Apresentamos a obra de Hernán Palermo, La producción de la masculinidad en el trabajo petrolero, fruto de longa etnografia realizada entre os trabalhadores petroleiros na Argentina e tema de sua tese de doutoramento. Partindo de uma mirada gramsciana em interface com a história social feminista, o autor mobiliza as categorias de hegemonia empresarial e disciplina fabril a fim de compreender os processos de fabricação e mutação das masculinidades, inseridos no contexto de privatização e desmantelamento da empresa petroleira estatal YPF. O estudo acompanha a masculinidade como um fenômeno social, que se reforça tanto nos espaços de trabalho como no ambiente familiar. A análise aponta para a maneira como a fabricação de masculinidades no universo petroleiro se desdobra de formas múltiplas, que podem incluir, por exemplo, as masculinidades heroicas e as masculinidades infantilizadas. As reflexões de Palermo constituem uma importante contribuição para os estudos antropológicos do trabalho por trazerem à discussão a interconexão entre a disciplina empresarial/laboral e as relações de gênero, assim como os modos como tais relações são transformadas em um contexto de reestruturação produtiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guillermo Stefano Rosa Gómez, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutorando em Antropologia Social no Programa de Pós-graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAS/UFRGS). Mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAS/UFRGS). Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pelotas (2015). Pesquisador do Núcleo de Antropologia Visual (Navisual - UFRGS). Pesquisador colaborador do Laboratório de Ensino, Pesquisa e Produção em Antropologia da Imagem e do Som (LEPPAIS/UFPel). Integra a equipe editorial da Revista Latinoamericana de Antropología del Trabajo (CONICET/CIESAS). Atuou como estagiário docente nas disciplinas de Antropologia Urbana, Antropologia Visual e Oficina de Etnografia, ministradas ao curso de Ciências Sociais da UFRGS. Atua no campo da Antropologia Urbana e da Antropologia Visual, com interesse nos seguintes temas: transformações e crises no mundo do trabalho, memória e cultura visual do trabalho, emoções e emprego, envelhecimento e sociedades complexas, identidades narrativas, família e parentesco. 

Manoel Cláudio Mendes Gonçalves da Rocha, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAS/UFRGS), é pesquisador associado do Núcleo de Antropologia Visual (NAVISUAL/PPGAS/UFRGS) e do Banco de Imagens e Efeitos Visuais (BIEV/PPGAS/UFRGS). Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Pará (2011) e mestrado em Antropologia pela Universidade Federal do Pará (2014). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: cidade, trabalho, memória, imagem. 

Publicado

2021-10-26

Como Citar

Gómez, G. S. R., & Rocha, M. C. M. G. da . (2021). MASCULINIDADES PETROLEIRAS: Trabalho e Gênero na Argentina. REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS - POLÍTICA &Amp; TRABALHO, 1(54), 238–245. https://doi.org/10.22478/ufpb.1517-5901.2021v1n54.53175