SERIA MICHEL FOUCAULT UM FILÓSOFO ESTRUTURALISTA?

  • Daniel Luis Cidade Gonçalves Universidade do Estado de Santa Catarina
Palavras-chave: estruturalismo, sujeito, história, transformações, genealogia.

Resumo

Acreditamos que rotular é uma tarefa que não possui valor intrínseco. Dessa forma, nosso objetivo aqui não consiste em definir se classificar Foucault como um filósofo estruturalista está certo ou errado, mas utilizar-se desta indagação para explorar em que sentido o autor se aproxima e em que sentido se afasta do estruturalismo. Assim, a principal meta do artigo é explorar, elucidar e problematizar alguns pontos específicos, como a filosofia do sujeito, a visão descontínua da história, a análise das transformações e o método genealógico. Talvez seja possível entender o pensamento de Foucault como suficientemente original e autônomo, sem que com isso seja necessário rejeitar seus vínculos com o pensamento de seu tempo.

Biografia do Autor

Daniel Luis Cidade Gonçalves, Universidade do Estado de Santa Catarina
Bacharel e licenciado em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Catarina, mestre e doutor em Filosofia Política e Ética pela mesma instituição.

Professor substituto da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Referências

ARAÚJO, Inês Lacerda. Foucault e a crítica do Sujeito. 2. ed. Curitiba: Editora da UFPR, 2008.

DOSSE, François; História do Estruturalismo: O campo do signo – 1945/1966. Volume I. Tradução de Álvaro Cabral. Bauru, SP: Edusc, 2007.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 11. ed. Tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

______. O Dossier: Últimas entrevistas. Tradução de Ana Maria de A. Lima e Maria da Glória R. da Silva. Rio de Janeiro: Livraria Taurus, 1984.

______. Arqueologia das ciências e História dos Sistemas de Pensamento: Ditos e escritos. Vol. II. Tradução de Elisa Monteiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

______. Ética, sexualidade, política: Ditos e escritos. Vol. V, 2. ed. Tradução de Elisa Monteiro e Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

______. Estratégia, Poder-Saber: Ditos e escritos. 2. ed. Vol. IV. Tradução de Vera Lucia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010a.

______. Repensar a política: Ditos e escritos. Vol. VI. Tradução de Ana Lúcia Paranhos Pessoa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010b.

______. Genealogia da ética, Subjetividade e Sexualidade. Ditos e escritos. Vol IX. Tradução de Abner Chiquieri. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014a.

______. Filosofia, Diagnóstico do Presente e Verdade. Ditos e escritos. Vol. X. Tradução de Abner Chiquieri. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014b.

MACHADO. Foucault, a ciência e o saber. 3. ed. Rio de janeiro: Jorge Zahar, 2006.

Publicado
2020-05-19
Seção
Artigos