A LEITURA DE EMOÇÕES NO LIVRO INFANTIL ILUSTRADO: PALAVRAS E IMAGENS

  • Elenice Andersen UFSC - PUCRS

Resumo

Este artigo aborda a dimensão emocional da leitura do livro infantil ilustrado. Tem por objetivo propor, com base em evidências de estudos cognitivos sobre a leitura de narrativas de ficção, um olhar para o livro que valorize a experiência vicária da criança na interação com as emoções das personagens (MIALL, 1989; OATLEY, 2012), bem como o papel dessa experienciação no desenvolvimento da empatia (DJIKIC; OATLEY; MIHNEA, 2013). Por meio dos procedimentos metodológicos da Análise de Conteúdo (BARDIN, 1977), orientados pelas categorias de relações entre palavra e imagem, conforme Nikolaveja (2013), discute possibilidades de leitura de emoções em uma obra da literatura infantil nacional destinada ao leitor iniciante, analisando as representações construídas colaborativamente por escritor e ilustrador de como as personagens pensam e sentem. Conclui que a dimensão emocional é onipresente na leitura e, portanto, necessita de um tratamento didático que reconheça a indissociabilidade cognição-emoção (DAMÁSIO, 2012). Além disso, propõe que as narrativas ficcionais infantis ilustradas, além de contribuir para a alfabetização verbal e visual, oferecem uma fecunda possibilidade de leituras sobre si e sobre o outro, que podem favorecer o desenvolvimento de importantes habilidades socioemocionais na criança, como a empatia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-05-05
Como Citar
Andersen, E. (2020). A LEITURA DE EMOÇÕES NO LIVRO INFANTIL ILUSTRADO: PALAVRAS E IMAGENS. PROLÍNGUA, 14(2), 16-27. https://doi.org/10.22478/ufpb.1983-9979.2019v14n2.48725