Do púlpito ao palanque: o argumento da liberdade religiosa e a cura gay em perspectivas evangélicas conservadoras

  • Tainah Biela Dias (UMESP) Universidade Metodista de São Paulo

Resumo

O presente trabalho objetiva demonstrar como se constroem discursos evangélicos conservadores sobre as homossexualidades e transexualidades. Para tal, nos concentraremos, num primeiro momento, em interpretações bíblicas que embasam posicionamentos discriminatórios contra as pessoas LGBTIQ, associando as homossexualidades e transexualidades a comportamentos pecaminosos e condenáveis aos olhos de Deus. Veremos, também, como esses posicionamentos ganham força e extrapolam o campo religioso, alcançando espaço no campo político e midiático, por meio da bandeira da defesa da família. Em seguida, demonstraremos as formas pelas quais a atividade pastoral é instrumentalizada para trabalhos de reorientação sexual dentro das igrejas apoiados no argumento da liberdade religiosa e, também, sobre como esses mesmos códigos são utilizados na tentativa de (re)patologização das sexualidades desviadas por meio de iniciativas que buscam permitir que psicólogos atendam pessoas que desejam mudar sua orientação sexual, colocando, assim, desafios à laicidade brasileira.

Biografia do Autor

Tainah Biela Dias (UMESP), Universidade Metodista de São Paulo

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo.

Publicado
2019-12-28
Como Citar
(UMESP), T. B. D. Do púlpito ao palanque: o argumento da liberdade religiosa e a cura gay em perspectivas evangélicas conservadoras. Religare: Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões da UFPB, v. 16, n. 1, p. p.117-139, 28 dez. 2019.