REFLEXÕES A PARTIR DE EXPERIÊNCIAS DE ORGANIZAÇÃO SOCIAL CONTEXTUALIZADAS

Autores

  • Albertina Maria Ribeiro Brito de Araújo
  • Severino Bezerra da Silva

Palavras-chave:

Rede, Território, Diálogo

Resumo

O Território da Borborema, na Paraíba é um espaço que contribui com reflexões a partir de processos que se fundamentam em teorias críticas e que nutrem os ideais defendidos socioculturalmente por sujeitos que se dispõem a mediar suas relações/vivências através do diálogo construído paulatinamente em seus contextos, espaços e temporalidades, com isso, pensando, sentindo e vislumbrando sinais de novas práticas nas diferenças e diversidades humanas. Experiências como a dos guardiões da semente da paixão; da campanha de fortalecimento da vida na agricultura familiar; da luta em defesa das mulheres e da agroecologia; de organização da juventude; de educação nos diferentes processos de escolarização e organização/participação do campo são geradoras de desdobramentos imensuráveis na vida das pessoas. As redes sociais assumem também esse papel de dar sustentabilidade às relações sociais concretas embasadas em princípios comuns que vinculam pessoas a outras pessoas dentro de contextos específicos, mobilizando energias para democratização do Estado. Redes como a de construção do conhecimento agroecológico; a rede de algodão agroecológico e a rede de educação do campo da Borborema materializam essa vontade coletiva. Nesse sentido o objetivo desse trabalho é contribuir com o diálogo sobre/entre experiências que apontam saídas a partir de outras tentativas de desenvolvimento dessa sociedade. Percebemos que são lugares de visibilidade ainda negada, mas que já nascem com base na negação da razão indolente e na afirmação das ecologias propostas por Boaventura de Sousa Santos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-04-06

Como Citar

ARAÚJO, A. M. R. B. de; SILVA, S. B. da. REFLEXÕES A PARTIR DE EXPERIÊNCIAS DE ORGANIZAÇÃO SOCIAL CONTEXTUALIZADAS. Revista Lugares de Educação, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 311–324, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rle/article/view/11649. Acesso em: 5 dez. 2022.