Da Racionalidade Instrumental para a Substantiva: explorando possibilidades da Gestão De Clima Organizacional

Luciana Campos Lima, Wilson Aparecido Costa de Amorim, André Luiz Fischer

Resumo


A partir da abordagem qualitativa, procurou-se analisar como se dá o processo de apropriação das características da racionalidade substantiva pela prática de Gestão de Clima organizacional na ALN (nome fictício). Para isso, fez-se uso dos conceitos das racionalidades instrumental e substantiva de Guerreiro Ramos e das contribuições de Serva (1997) sobre a coexistência de ambas no ambiente organizacional, bem como do seu modelo de análise das práticas administrativas. Estudou-se o caso de forma longitudinal entre os anos de 1999 a 2005, utilizando-se de uma pesquisa documental histórica, complementada por entrevistas com os gerentes. Após a análise e interpretação comparada dos conteúdos documentais, e das percepções dos entrevistados à luz do referencial teórico, evidenciou-se que as pesquisas de clima realizadas de 1999 a 2003 reforçavam a racionalidade instrumental na ALN. A pesquisa de 2005 mostrou-se facilitadora das características da racionalidade substantiva.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21714/tpa.v5i1.19838



TPA está presente nos seguintes Diretórios e Indexadores:

DIRETÓRIOS:

INDEXADORES:

REDIB
SPELL



TPA recomenda a leitura de:

Manual de Boas Práticas da Publicação Científica - ANPAD



Instituições de referência para a TPA:



Contato: tpa@ccsa.ufpb.br

TPA - Teoria e Prática em Administração

Licença Creative Commons
Os trabalhos publicados na Teoria e Prática em Administração (TPA) estão licenciados com uma
Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.



Projeto e direitos: Mariana Cantisani | Ronei Oliveira | Carlo Bellini