Intencionalidades para a gestão documental: declaração de intenções para a política pública de gestão de documentos de arquivo do Campus João Pessoa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Palavras-chave: Gestão Documental, Documentos de Arquivo, Política Pública Arquivística, IFPB

Resumo

Pesquisar sobre a gestão documental no Campus João Pessoa do IFPB mostrou-se propício para conhecer como dirigentes e subordinados, assim comoos servidores lotadosno arquivo e estagiários trabalhavam e idealizavam os elementos constitutivos da gestão documental, e desta maneira, propor uma gestão pública de documentos de arquivo por meio da definição da política arquivística e da designação de responsabilidades. Tratou-se de uma pesquisa de campo de classificação empírica, cujos procedimentos metodológicos se apoiaram na abordagem quantiqualitativa, com pesquisa descritiva e bibliográfico-documental. Com quatro formulários, obtiveram-se os seguintes resultados: os dirigentes mostram-se sensibilizados e prontos para apoiarem o desenvolvimento de um programa de gestão documental, pois reconhecem dificuldades e limitações no trato documental, bem como as necessidades de melhorias e o promissor envolvimento do Arquivista no processo; os Arquivistas apresentam ações e propostas da gestão documental, reconhecem as necessidades e dificuldades de um trabalho desta envergadura, e juntos às estagiárias atuam na organização para o acesso a documentos e informações arquivísticas, apenas sugestõesdispersas orbitam para intervenções na produção, tramitação e avaliação documental; os usuários internos mostram-se com baixa satisfação no acesso físico aos documentos de arquivo. 

Referências

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Classificação, temporalidade e destinação de documentos de arquivo, relativos as atividades-meio da administração pública. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001. p. 156.

________. Gestão de documentos: conceitos e procedimentos básicos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1995. (Publicações Técnicas, 47).

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos. Modelo de requisitos para sistemas informatizados de gestão arquivística de documentos e-ARQ Brasil. Versão 1, dez. 2006. p. 32-46.

COSTA, Diógenes Rodrigues da.A gestão documental sob a ótica do diagnóstico de arquivo: o caso do Fórum Desembargador Rivaldo Bezerra Cavalcanti – Comarca de Gurinhém/PB. João Pessoa: UEPB, 2011. 64 f. TCC (Graduação em Arquivologia) – Universidade Estadual da Paraíba – UEPB, 2011.

FONSECA, Maria Odila. Informação e direitos humanos: acesso às informações arquivísticas. [2000]. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v28n2/28n2a07.pdf>. Acesso em: 02 jul. 2012.

JARDIM, José Maria. O conceito e a prática de gestão de documentos. Acervo Revista do Arquivo Nacional, v. 2, n. 2, p. 36-42, jul.- dez. 1987.

_________; FONSECA, Maria Odila. Arquivos. In: CAMPELLO, Bernadete Santos; CALDEIRA, Paulo da Terra (Org.). Introdução às fontes de informação. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2008. p. 121-139.

LOPES, Ana Suely Pinho. A gestão documental nas entidades nacionais do sistema industrial: desafios e soluções encontradas. Arquivística.net – www.arquivistica.net, Rio de janeiro, v.4, n.1, p. 20-34, jan./jun.2008.

SANTOS, Vanessa Velez dos. O conceito de gestão documental sob o olhar da Arquivística.Net: uma análise da produção científica em periódicos. João Pessoa: UEPB, 2010. 52 f. TCC (Graduação em Arquivologia) – Universidade Estadual da Paraíba – UEPB, 2010.

SCHELLENBERG, Theodore R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. 6. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006. 386 p.

SILVA, Sérgio Conde de Albite. A preservação da informação arquivística governamental nas políticas públicas do Brasil. São Paulo: Associação dos Arquivistas Brasileiros; Rio de Janeiro: FAPERJ, 2008, p. 25-73.

Publicado
2018-07-01
Seção
Relatos de Pesquisa