Evolução filosófica do conceito de dignidade humana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18012/arf.v8i1.53583

Palavras-chave:

Dignidade Humana, Pessoa Humana, Direitos Humanos

Resumo

A presente pesquisa trata do tema hoje chamado de dignidade da pessoa humana, mas que por vezes será tratado apenas como dignidade ou dignidade humana. Esta variação se dá pelas épocas e autores abordados. Daqui o objetivo geral: analisar a evolução histórico-filosófica do conceito de dignidade humana. Dessa forma, coloca-se o seguinte problema a ser elucidado: como se deu a evolução histórica e filosófica da ideia de dignidade humana, nos autores escolhidos como máximos representantes de sua época? E, diante de tal problema, será investigada a evolução do conceito de dignidade humana no ocidente, partindo da antiguidade até a contemporaneidade, buscando trabalhar os mais relevantes autores e obras que contribuíram para a edificação do conceito tema desta pesquisa. Além disso, pretende-se investigar a importância da dignidade humana na atualidade, em âmbito internacional. A escolha de tal tema é justificada pelo fato de o conceito “dignidade humana” ter se tornado o “princípio dos princípios” de muitos ordenamentos jurídicos hodiernos. Para a realização da pesquisa, utilizara-se a Pesquisa Bibliográfica. A partir deste artigo, é possível compreender cada passo histórico e filosófico que contribuíram para a formação do conceito de dignidade da pessoa humana, que hoje possui caráter universalista e abraça a todos da família humana. Isto é, percebe-se, através dessa pesquisa, que o conceito amplamente utilizado no mundo jurídico como um supraprincípio, não surgiu no pós-Segunda Guerra Mundial, apenas foi ali que migrou definitivamente para o mundo jurídico, mas sim que o conceito surgiu e vem sendo debatido a mais de dois milênios. Nesse sentido, também, nota-se que nem sempre a dignidade da pessoa humana foi atribuída à todos os espécimes da raça humana, e que pela maior parte do tempo de sua construção, a dignidade pertenceu a grupos específicos das sociedades, ora ligada a honra, ora ligada a títulos de nobreza, ora à pessoa cuja vida era levada conforme os ensinamentos divinos. Somente em Kant consagrou-se a dignidade da pessoa humana como atributo inerente a cada ser racional, e ainda mais tarde, com o movimento constitucionalista da segunda metade do século XX, que esse conceito migra ao Direito e passa a proteger o homem não só com seu conteúdo moral, mas também com seu conteúdo normativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Francisco de Assis Dias, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Licenciado em Filosofia pela Universidade de Passo Fundo - RS (1996) e Bacharel em Teologia pela Unicesumar (2014); Especialista em Docência no Ensino Superior pela Unicesumar (2015); Mestre em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Urbaniana, Cidade do Vaticano, Roma, Itália (1992); Mestre em Filosofia pela mesma Pontifícia Universidade Urbaniana, Cidade do Vaticano, Roma, Itália (2006); Doutor em Direito Canônico também pela Pontifícia Universidade Urbaniana, Cidade do Vaticano, Roma, Itália (2005); Doutor em Filosofia também pela Pontifícia Universidade Urbaniana, Cidade do Vaticano, Roma, Itália (2008). Atualmente é professor Adjunto da UNIOESTE, no Campus de Toledo-PR, onde é Coordenador do curso de Licenciatura em Filosofia; pesquisador do Grupo de Pesquisa “ÉTICA E POLÍTICA”, da UNIOESTE, CCHS, Campus de Toledo-PR; parecerista de revistas filosóficas e jurídicas.

Gabriel Jasper Kracieski, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Participação no programa Jovem Aprendiz Cooperativo na Cooperativa Agroindustrial Consolata (COPACOL) de 2016 a 2018. Formação em Inglês na instituição FISK de Cafelândia (2010-2018). Aprovação na prova TOEFL da Educational Testing Service (2018). Graduando em Filosofia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE. Também Graduando em Direito na União Educacional de Cascavel – UNIVEL. Desde agosto de 2019 participa de projeto de Iniciação Científica voluntária com duração de um ano, na área de Ética e Filosofia Política da UNIOESTE. Participa do Grupo de Pesquisa CRISIS – Unioeste.

Referências

AQUINO, Tomás de. Suma Teológica: volume 1, Iª Pars. Tradução de Alexandre Correia. Campinas, SP: Ecclesiae, 2016.
ARISTÓTELES. Política. 5° ed., 4° reimpressão. São Paulo: Martin Claret, 2010.
BARROSO, Luís Roberto. A dignidade da pessoa humana no direito constitucional contemporâneo: a construção de um conceito jurídico à luz da jurisprudência mundial. Tradução de Humberto Laport de Mello. 4° reimpressão. Belo Horizonte: Fórum, 2016.
BASTOS, Elísio Augusto Velloso. Algumas reflexões sobre os direitos humanos e suas gerações. In: PIOVESAN, Lages; GARCIA, Maria (org.). Teoria Geral dos Direitos Humanos: Doutrinas essenciais, v. 1. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2011, p. 239-266.
BECCHI, Paolo. O princípio da dignidade humana. In: Revista Brasileira de Estudos Constitucionais. vol. 7, jul./set. 2008.
Bíblia. Tradução portuguesa da vulgata latina pelo padre Antônio Pereira de Figueiredo. 1ª ed. São Paulo: Rideel, 1997.
BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Trad. Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Elsevier, 13° reimpressão, 2004.
CASTRO, Flávia Lages de. História do Direito Geral e Brasil. 10° edição, 2° tiragem. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2014.
CÍCERO. Dos Deveres. Trad. Alex Martins. São Paulo: Martin Claret, 2001.
FERACINE, Luiz. Introdução. In: MIRÀNDOLA, Giovanni Pico Della. A dignidade do Homem. São Paulo: Escala, 1985.
GUERRA, Sidney. Direitos Humanos: Curso elementar. São Paulo: Saraiva, 2013.
HABERMAS, Jürgen. Sobre a Constituição da Europa: um ensaio. Trad. Denilson Luiz Werle, Luiz Repa e Rúrion Melo. São Paulo: UNESP, 2012.
KANT, Immanuel. Fundamentação da metafísica dos costumes. Trad. Inês A. Lohbauer. São Paulo: Martin Claret, 2018.
MARTINS, Antonio H. C; GODINHO, Ariele A. O diálogo entre os Direitos Humanos e sua fundamentação filosófica na Teoria Moral de Tomás de Aquino. Revista Ética e Filosofia Política – Nº 15 – Volume 2 – Dez. de 2012. Disponível em <https://periodicos.ufjf.br/index.php/eticaefilosofia/article/view/17723>. Acesso: 03 de jun. de 2020.
MIRÀNDOLA, Pico Della. A dignidade do Homem. São Paulo: Escala, 1985.
MOURA, Laércio Dias de. A dignidade da pessoa e os direitos humanos. Rio de Janeiro: PUC, 2002.
NUNES, Luiz Antônio Rizzato. O princípio constitucional da dignidade da pessoa humana. São Paulo: Saraiva, 2002.
PARENTE, Analice Franco Gomes; REBOUÇAS, Marcus Vinícius Parente. A construção histórica do conceito de dignidade da pessoa humana. Disponível em <http://www.publicadireito.com.br/artigos/?cod=066d47ae0c1f736b>. Acesso: 16 de jun. de 2020.
RENNER, Fabio Krejci. A evolução histórica da dignidade humana. 2016. Disponível em <https://fabiorenner.jusbrasil.com.br/artigos/410576918/a-evolucao-historica-da-dignidade-humana>. Acesso: 15 de maio de 2020.
ROSSET, Luciano. A democracia ateniense: filha de sua história, filha de sua época. Revista de Cultura Teológica. v. 16, n. 64. jul/set 2008. Disponível em <https://revistas.pucsp.br/index.php/culturateo/article/viewFile/15535/11601>. Acesso: 08 de jun. de 2020.
SANTOS, Ivanaldo dos; CAMPOS, Sávio L. de Barros. TOMÁS DE AQUINO E O HUMANISMO. Revista A Ordem. Vol. 100, No. 1, 2016. Disponível em <http://www.revistaaordem.com.br/index.php/aordem/article/view/5/5>. Acesso: 01 de jun. de 2020.
SARLET, Ingo Wolfgang. Dignidade da pessoa humana e direito fundamentais na Constituição Federal de 1988. 7° Ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado. 2009.
SARLET, Ingo Wolfgang. Notas Sobre a Dignidade (da pessoa) Humana no Âmbito da Evolução do Pensamento Ocidental. Revista Opinião Jurídica. Fortaleza, n. 17, p.249-267, jan./dez. 2015. Disponível em <https://periodicos.unichristus.edu.br/opiniaojuridica/article/view/265>. Acesso: 03 de jun. de 2020.
SREFLING, Sérgio Ricardo. A realidade da pessoa humana em Tomás de Aquino. Editora PUCRS, 2016. Disponível em <https://editora.pucrs.br/anais/seminario-internacional-de-antropologia-teologica/assets/2016/20.pdf>. Acesso: 03 de jun. de 2020.
WALDRON, Jeremy. Dignity and rank. European journal of sociology. v. 48, n. 2, p. 201-237, ago./dez. 2007.
ZENNI, Alessandro Severino Valler; FILHO, Daniel Ricardo Andreatta. O direito na perspectiva da dignidade humana: transdisciplinariedade e Contemporaneidade. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 2011.

Arquivos adicionais

Publicado

2021-05-25

Como Citar

Assis Dias, J. F. de, & Kracieski, G. J. (2021). Evolução filosófica do conceito de dignidade humana. Aufklärung: Revista De Filosofia, 8(1), p.135–152. https://doi.org/10.18012/arf.v8i1.53583

Edição

Seção

Artigos