Composição tecidual de cortes comerciais de cordeiros alimentados com Cenchrus ciliares L. e Mimosa tenuiflora

  • Uilma Laurentino da Silva Universidade Federal de Campina Grande
  • José Morais Pereira Filho Universidade Federal de Campina Grande
  • Paulo André Vital Bandeira Universidade Federal de Campina Grande
  • Aderbal Marcos de Azevedo Silva Universidade Federal de Campina Grande
  • Rayanna Campos Ferreira Universidade Federal de Campina Grande
  • Maiza Araújo Cordão Instituto Federal da Paraíba
  • Giovanna Henriques da Nóbrega Prefeitura Municipal de Gravatá-PE
  • Marcilio Fontes Cézar Universidade Federal de Campina Grande

Resumo

Objetivou-se avaliar a composição tecidual de cortes comerciais cordeiros Santa Inês alimentados com diferentes proporções de feno de capim buffel (Cenchrus ciliaris L.) e jurema preta (Mimosa tenuiflora (Willd.) Poiret). Foram utilizados 28 cordeiros Santa Inês, não castrados, com peso corporal 20 ± 2,49 kg. Os tratamentos foram constituídos pelas diferentes proporções dos fenos de capim buffel (FCB) e jurema preta (FJP) na porção volumosa da dieta: 0% de FJP + 100% de FCB; 33% de FJP + 67% de FCB; 67% de FJP + 33% de FCB; 100% de FJP + 0% de FCB. O abate foi realizado aos 65 dias de experimento, para obtenção da carcaça. A meia carcaça esquerda foi dividida nos cortes comerciais: pescoço, paleta, costilhar, lombo e perna, os quais foram dissecados em osso, músculo e gordura. As variáveis analisadas foram: peso dos cortes pescoço, paleta, costilhar, lombo e perna, assim como, peso e rendimentos de seus constituintes teciduais: gordura subcutânea, gordura intermuscular, gordura total, músculos, ossos, relação músculo:gordura, relação músculo:osso e relação osso:gordura. O delineamento foi o inteiramente casualizado, com quatro tratamentos e sete repetições, com os dados submetidos a análises de variância e de regressão, sempre ao nível de 5% de probabilidade. Houve efeito quadrático na inclusão do feno da jurema preta nos pesos do pescoço, costilhar, lombo, perna e na relação músculo/gordura, e efeito linear decrescente para paleta. Conclui-se que para obtenção de carcaça com adequado rendimento de gordura, sem alterar a proporção de músculo nos cortes comerciais, recomenda-se proporções de 20 a 45% da porção volumosa.

Biografia do Autor

Uilma Laurentino da Silva, Universidade Federal de Campina Grande
Pós Graduação em Zootecnia
José Morais Pereira Filho, Universidade Federal de Campina Grande
Pós Graduação em Zootecnia
Paulo André Vital Bandeira, Universidade Federal de Campina Grande
Pós Graduação em Zootecnia
Aderbal Marcos de Azevedo Silva, Universidade Federal de Campina Grande
Pós Graduação em Zootecnia
Rayanna Campos Ferreira, Universidade Federal de Campina Grande
Pós Graduação em Zootecnia
Maiza Araújo Cordão, Instituto Federal da Paraíba
Departamento de Medicina Veterinária
Giovanna Henriques da Nóbrega, Prefeitura Municipal de Gravatá-PE
Departamento de inspeção e vigilância sanitária
Marcilio Fontes Cézar, Universidade Federal de Campina Grande
Pós Graduação em Zootecnia
Publicado
2018-12-20
Seção
Zootecnia