Panoramas, contextos, gestão e práticas em acervos e coleções

  • Gustavo Souza Marques UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
  • Renata Lopes Leite UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
  • Tadeus Mucelli UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
  • Samuel Ayobami AKINRULI UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Resumo

Este artigo surgiu na busca de referências bibliográficas consolidadas e ao mesmo tempo o encontro de uma diversidade considerável de temáticas relativas a gestão de acervos e coleções. Buscando compreender a gestão dos espaços de memória, refletindo sobre os termos acervos e coleções analisando seus sentidos atribuídos a partir de várias áreas em que se pratica ações envolvendo a temática. Contextualizando a gestão de coleções e suas práticas, pontuando a interdisciplinaridade e transversalidade das áreas envolvidas, apresentamos alguns exemplos.

Biografia do Autor

Gustavo Souza Marques, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
Doutorando em Música pela University College Cork (UCC) com co-orientação pela Escola da Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A temática da pesquisa é o trabalho musical de Tyler, the Creator e suas articulações em torno das questões raciais e de gênero. Mestre em Música e Cultura pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) onde pesquisa o evento Duelo de MCs e a ocupação do espaço público pela juventude hip-hop de Belo Horizonte. Concluído em outubro de 2013. Graduado em Comunicação Social ? Gestão da Comunicação Integrada. Habilitação: Jornalismo PUC Minas ? Unidade São Gabriel. Agosto de 2009. Formado no curso livre de Bateria da Universidade de Música Popular Bituca. 2011.
Renata Lopes Leite, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
É mest4randa do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (UFMG/2018) pela linha de pesquisa Memória Social, Patrimônio e Produção do Conhecimento (PPGCI/UFMG). Possui graduação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999). Especialização em Artes Visuais pelo SENAC (2011). Especialização em Gestão do Patrimônio Histórico e Cultural pela UFMG (2011). Atualmente atua no Acervo Artístico/DAC/UFMG e é pesquisadora no NEPPAMCS – Núcleo de Estudos Sobre Performance, Patrimônio e Mediações Culturais da UFMG.
Tadeus Mucelli, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
Tadeus Mucelli, é artista, curador, pesquisador e gestor de projetos em arte tecnológica e cultura digital. Possui graduado em Gestão de Organizações do Terceiro Setor pela Universidade do Estado de Minas Gerais por meio da Faculdade de Políticas Públicas (UEMG/FAPP). Mestre em Artes pelo programa de pós-graduação stricto sensu da Universidade do Estado de Minas Gerais com temática sobre a memória, preservação e patrimônio digitais. É Doutorando em Ciências da Informação pela ECI/UFMG.
Samuel Ayobami AKINRULI, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
É doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (UFMG/2018) pela linha de pesquisa Memória Social, Patrimônio e Produção do Conhecimento (PPGCI/UFMG). Possui mestrado em Inovação Tecnológica e Propriedade Intelectual pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/2014); especialização em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais / Geoprocessamento (UFMG/2017); bacharelado em Ciências Econômicas pela Lagos State University (Nigéria/2006), diploma reconhecido/revalidado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG/2015). É cofundador do Instituto de Inovação Social e Diversidade Cultural (INSOD) com sede em Belo Horizonte/MG/Brasil, instituição no qual é presidente e gestor de inovação, sendo também filiado ao Conselho Regional de Economia (CORECON-MG). Desenvolve pesquisas relacionadas aos diagnósticos do patrimônio cultural por meio de curadorias, inventários, tombamentos, registros, planos e ações de salvaguarda, cartografia histórica e geoprocessamento. Desenvolve trabalhos e pesquisas relacionados aos registros audiovisuais (fotografia e vídeo), especialmente por meio de ações baseadas na metodologia da etnografia.

Referências

...tales como museos y sus colecciones, archivos, obras de arte, elementos o estructuras de carácter arqueológico, parques, edificios, materiales iconográficos, literarios, teatrales, cinematográficos y musicales, que tengan un valor excepcional desde el punto de vista histórico, estético, antropológico, etnológico, artístico y científico para la Humanidad. También sumamos a nuestra definición el acerbo de tradiciones, usos y costumbres, fiestas y formas de celebración que han configurado nuestra identidad y constituyen el patrimonio intangible. uitectónicas, plásticas, literarias, etc., elementos tangibles que podrán ser observados, usados, disfrutados, apreciados y valorizados por sucessivas generaciones. Se concreta también bajo formas intangibles, cuyos mecanismos de transmisión generacional – y “conservación” – son distintos, entre ellos el Patrimonio Digital. (Aballí, 2009, p.1)

Dado que la información es un recurso básico para todas las actividades humanas, laciencia de la información no se interesa sólo por las necesidades de información de la comunidad científica y técnica, sino de las de cualquier persona o institución, ya sea para la toma de decisiones, resolución de problemas o para actividades de ocio, diversión o entretenimiento. (Molina, 2009, p. ii)

... as coleções, que, para os membros do meio intelectual e artístico, são instrumentos de trabalho e símbolos de pertença social, são, para os detentores do poder, insígnias da sua superioridade e também instrumentos que lhes permitem exercer uma dominação neste meio. (POMIAN, 1984, p.79)

É compromisso dos museus pensar a salvaguarda do seu acervo de modo a fazer com que a tríade pesquisa, comunicação e preservação seja realizada. Muitas são as ações que o profissional de museu desenvolve no que tange à gestão e ao controle do acervo: interpretar, organizar, documentar, recuperar e disponibilizar são etapas fundamentais para o tratamento da informação dos objetos museológicos e das práticas administrativas. (PADILHA, 2014, p.10)

"... o documento mais importante do acervo do museu é a Política de Gestão do Acervo" (LADKIN, 2004).

Publicado
2019-08-07
Seção
ARTIGOS DE REVISÃO