Foco e Escopo

Caos – Revista Eletrônica de Ciências Sociais é a publicação do Curso de Ciências Sociais da UFPB. Criada em 1999, teve circulação contínua até 2012, tendo publicado nesse período 24 números. Em 2012, por questões internas, deixou de publicar. Em 2019, retoma sua atribuição, voltando à publicação periódica semestral. A reativação da Revista reflete o compromisso da Coordenação do Curso de Ciências Sociais na disseminação de um debate acadêmico atualizado, no qual, alunos de ciências sociais (especialmente da graduação) encontrem acolhimento para suas produções. Quando foi criada, tinha como objetivo principal, funcionar como um elemento didático do Projeto Político Pedagógico do Curso, voltando-se exclusivamente para a produção e divulgação dos trabalhos dos alunos de graduação do Curso de Ciências Sociais. Com a repercussão, outras parcelas da comunidade acadêmica manifestaram interesse, assim, o seu perfil editorial ampliou-se, passando a acatar trabalhos da comunidade acadêmica de forma geral, oriundos da antropologia, ciência política e sociologia. O seu diferencial original, contudo, foi mantido: acolher a produção independente de alunos de graduação. Publicamos dossiês temáticos, artigos de tema livre, entrevistas, resenhas e traduções. 

Nossa missão é disseminar conhecimento no campo das ciências sociais, oferecer um espaço onde possam ocorrer debates pertinentes ao campo das ciências sociais, no qual se articulem teorias e conhecimentos empíricos. E ainda, funcionar como um espaço complementar ao processo de ensino/aprendizagem, dando aos alunos de graduação oportunidades de tornar público seus trabalhos, e submetê-los à crítica intersubjetiva. 

Caos – Revista Eletrônica de Ciências Sociais se destina a pesquisadores, estudantes e público interessado nas áreas de Sociologia, Política, Antropologia e Humanidades. 

Periodicidade

Semestral 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.