O ANTIGO E O MODERNO OU O CARREFOUR DO TEMPO

  • Georges Banu Université Sorbonne Nouvelle Paris 3
Palavras-chave: distanciamento, reaproximação temporal, duração mista

Resumo

O teatro se confronta com a questão do tempo e seu tratamento cênico. Começou por tentar restituir a distância no tempo a fim de reconstituir as condições históricas dos textos clássicos e, em seguida, de uma maneira polêmica, deu prioridade a sua dimensão contemporânea e procedeu a uma reaproximação evidente pelas opções adotadas. Hoje, alguns grandes diretores preferem a hibridação de durações e adotam uma dupla posição, na qual a distância e a proximidade se cruzam, criando um tempo "fictício", impuro, um tempo estritamente teatral.
Publicado
2018-12-17
Como Citar
BANU, G. O ANTIGO E O MODERNO OU O CARREFOUR DO TEMPO. MORINGA - Artes do Espetáculo, v. 9, n. 2, 17 dez. 2018.
Seção
Epistemologia da cena