PERFORMANCE-RITUAL ÜHPÜ

o indígena e o não indígena juntos na cena decolonial

Autores

  • Luiz Davi Vieira Gonçalves Universidade do Estado do Amazonas

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2177-8841.2021v12n1.59956

Resumo

Este artigo apresenta o processo de criação da performance-ritual Ühpü. Desenvolvida pelo grupo de pesquisa Tabihuni, na Universidade do Estado do Amazonas – UEA, teve como pilar a experiência simétrica entre indígenas e não indígenas no ritual xamânico conduzido pelos indígenas Bu’u Kennedy, da etnia Ye’pá mahsã (Tukano), e Chris TK, da etnia Huni Kuin (Kaxinawa). Neste sentido, o presente artigo descortina ao campo das Artes da Cena uma experiência decolonial construída simetricamente na imersão no xamanismo, fazendo com que, antes de qualquer “encenação”, encontrássemos nossa real existência, presença e, principalmente, nossa subjetividade no/para mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

VIEIRA GONÇALVES, L. D. PERFORMANCE-RITUAL ÜHPÜ: o indígena e o não indígena juntos na cena decolonial. MORINGA - Artes do Espetáculo, [S. l.], v. 12, n. 1, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2177-8841.2021v12n1.59956. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/59956. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

Diálogos e fronteiras