REALISMO DE CONFRONTO, ATORES-MONSTROS E MONSTROS-ATORES

Autores

  • Rodrigo Guéron Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Marcela Souza Amaral Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2177-8841.2021v12n1.59966

Resumo

Considerando a hipótese do conceito de “Realismo de Confronto”, oriundo da observação de filmes contemporâneos, buscamos trazer uma questão que não é exclusiva aos filmes de nossa época, a de um realismo que coloca em questão o próprio real. Ao analisarmos as relações e as tensões entre atores e não atores e personagens, situações reais e/ou fictícias, encontramos proximidade com a teoria de Deleuze sobre as relações entre o virtual e o atual no cinema e a afirmação do filósofo que “o ator é um monstro”. Analisando o filme Monstros (Freaks, Tod Browning, 1932) e relacionando-o a outros mais contemporâneos, articularemos o “realismo de confronto” às relações entre o atual e o virtual no corpo dos atores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

GUÉRON, R.; SOUZA AMARAL, M. REALISMO DE CONFRONTO, ATORES-MONSTROS E MONSTROS-ATORES. MORINGA - Artes do Espetáculo, [S. l.], v. 12, n. 1, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2177-8841.2021v12n1.59966. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/moringa/article/view/59966. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

Diálogos e fronteiras