MECANISMOS DE ACCOUNTABILITY NO CENÁRIO COMPETITIVO DE SISTEMAS ESCOLARES

  • Prociana Ferreira da Silva
  • Edna Gusmão de G. Brennand
Palavras-chave: Globalização. Gestão Educacional. Accountability.

Resumo

O desenvolvimento do capitalismo é um processo de racionalização do mundo moderno que tem sido usada progressivamente nas instituições, na tecnologia, na Ciência e na lei. Desse modo, a democratização do Estado tornou-se tema central na teoria política contemporânea e seu processo tem em vista o enfrentamento das contradições estruturais que fizeram surgir diferentes concepções de reformas do Estado, com o objetivo de ressaltar a legitimidade democrática. Apesar dos pontos de discordâncias a literatura dedicada a essa temática apresenta, em seus debates, apresenta um ponto de interseção de que a democratização demanda o aprofundamento da accountability, entendida como a necessidade do Estado de prestar contas de suas ações à sociedade, criando mecanismos democráticos de participação. Nesse contexto, a utilização do modelo de accountability, como resultado dos modelos democráticos, chega também ao campo educacional em diversos países, e em especial, no Brasil. A pesquisa teve como objetivo analisar como o modelo de accountability foi utilizado na gestão da rede de ensino básico da Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco, bem como, compreender o processo de globalização e suas implicações na implantação desse modelo de Accountability. O estudo é de natureza exploratória, realizado através da técnica de pesquisa documental. Os resultados apontam que o Estado de Pernambuco de fato implantou mecanismos de accountability na gestão da educação com base na experiência vivenciada nos Estados Unidos da América. 

Biografia do Autor

Prociana Ferreira da Silva
Professora do Departamento de Ciência da Informação/CCSA/UFPB.Doutora em Linguística pela Universidade Federal da Paraíba.

Referências

AFONSO, A. J. Reforma do Estado e políticas educacionais: entre a crise do Estado-nação e a emergência da regulação supranacional. Educação & Sociedade, Campinas,v. 22, n. 75, p. 15-32, ago.2001.

_____. Nem tudo o que conta é mensurável ou comparável: crítica à accountability baseada em testes estandardizados e rankings escolares. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, n. 13, p. 13-29, jul. 2009b.

_____. Políticas avaliativas e accountability em educação: subsídios para um debate iberoamericano. Sísifo: revista de Ciências da Educação, Lisboa, n. 9,,p. 57-70. 2009a.

_____. Políticas de avaliação educacional: regulação e emancipação. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2009c.

_____. Um olhar sociológico da accountability em Educação. Sísifo: revista de Ciências da Educação, Lisboa, n. 9,p. 57-70. 2009. In: ESTEBAN, M. T.; AFONSO, A. J. Olhares e interfaces: reflexões críticas sobre a avaliação. São Paulo, Cortez: 2010c.

_____. Políticas educativas e autoavaliação da escola pública portuguesa: apontamentos de uma experiência. Estudos em avaliação educacional, São Paulo, v. 21, n. 46, p. 343-362, 2010a.

_____. Gestão, autonomia e accountability na escola pública portuguesa: breve diacronia. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Porto Alegre, v. 26, n. 1, p. 13-30, 2010b.

_____. Para uma conceitualização alternativa de accountability em educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 33, n. 119, p. 471-484, jun. 2012.

_____. Estado, mercado, comunidade e avaliação: esboço para uma rearticulação crítica. Educação & Sociedade, Campinas, Ano XX, n. 69, p. 139-164, dez. 1999.

AFONSO, A. J.; ESTÊVÂO, C. V. Avaliação no contexto organizacional da empresa e da escola. Fragmentos de percursos comparados. Revista Portuguesa de Educação, Lisboa, v. 3, n. 5, p. 81-103, 1992.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 9. ed. – Brasília, D.F.: Câmara dos Deputados, 2014.

_____. Ideb - Apresentação. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=180&Itemid=336>. Acesso em: 18 abr. 2015.

_____. SAEB. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/saeb/aneb-e-anresc.>. Acesso em: 18 abr. 2015.

BROOKE, N. O futuro das políticas de responsabilização educacional no Brasil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 128, p. 377- 401, ago. 2006.

_____. Responsabilização educacional no Brasil. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, v. 1, n. 1, p. 94 - 109, 2008.

CASTRO, A. M. D. A. Accountability: uma nova estratégia de controle da gestão escolar. In: Conferência Internacional - Educação, globalização e cidadania: novas perspectivas da Sociologia da Educação, 2008, João Pessoa.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J.; DESLAURIERS, J.- P.; GROULX, L.- H; LAPERRIERE, A.; MAYER, R.; PIRES, A. (Orgs). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008.

HORTA NETO, J. L. Um olhar retrospectivo sobre a avaliação externa no Brasil: das primeiras medições em educação até o SAEB de 2005. Revista Iberoamericana de Educación, n. 42/5, abr. 2007.

_____. Avaliação externa de escolas e sistemas: questões presentes no debate sobre o tema. Revista Brasileira Estudos Pedagógicos, Brasília, D.F., v. 91, n. 227, p. 84-104, jan./abr. 2010.

IANNI, O. Teorias da globalização. 9. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

PERNAMBUCO/ SEEP. Curso de Aperfeiçoamento em Gestão Escolar: Módulo I - Políticas públicas educacionais: marcos regulamentórios. Recife: Secretaria de Educação do Estado do Pernambuco, 2012a.

_____. _____: Módulo XII - Políticas de responsabilização educacional. Recife: Secretaria de Educação do Estado do Pernambuco, 2012d.

_____. _____: Módulo VII - Educação de qualidade social. Recife: Secretaria de Educação do Estado do Pernambuco, 2012b.

_____. _____: Módulo XI - Monitoramento e avaliação dos processos de ensino e aprendizagem. Recife: Secretaria de Educação do Estado do Pernambuco, 2012c.

Publicado
2016-08-08
Seção
Artigos de Revisão