ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM PARA INOVAÇÃO NAS FARMÁCIAS MAGISTRAIS DE JOÃO PESSOA NO ÂMBITO DO PROGRAMA ALI-PB

  • Narjara Bárbara Xavier Silva Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
  • Ediene Souza de Lima Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba (SEBRAE-PB).
Palavras-chave: Inovação Empresarial. Farmácia Magistral. Micro e Pequenas Empresas. Programa ALI.

Resumo

O contexto dinâmico e competitivo do segmento farmacêutico ressalta a importância da inovação nas farmácias magistrais. Nessa concepção, este estudo objetiva analisar a evolução das empresas atendidas no âmbito do Programa Agentes Locais de Inovação no estado da Paraíba (Programa ALI-PB), a partir da análise comparativa entre o gráfico inicial (T0) e o gráfico final (T2) de avaliação. Quanto ao campo de pesquisa, optou-se pelo estudo das farmácias magistrais localizadas em João Pessoa (PB). Para delimitação do perfil e mensuração do grau de inovação dessas empresas foram adotados o Termo de Adesão e o Radar da Inovação, respectivamente, ambos os instrumentos são utilizados pelo Sebrae na metodologia do Programa ALI. Com base nos resultados, observou-se uma variação de 0,8 no score geral das empresas, com maior evolução nas dimensões Plataforma, Clientes, Redes, Relacionamentos, Agregação de Valor, Organização e Ambiência Inovadora. Observou-se, ainda, que as empresas com maior contribuição para a variação em cada dimensão foram as que tiveram maior evolução nas dimensões Clientes e Ambiência Inovadora.

Biografia do Autor

Narjara Bárbara Xavier Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
Doutoranda em Ciência da Informação na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Agente Local de Inovação no Programa ALI-PB (Edição 2014-2016).
Ediene Souza de Lima, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba (SEBRAE-PB).
Mestra em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Bibliotecária - Analista Técnica do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Paraíba (SEBRAE-PB).

Referências

AGENTES LOCAIS DE INOVAÇÃO. Disponível em: http://migre.me/vuvvX. Acesso em: 30 mai. 2016.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE FARMACÊUTICOS MAGISTRAIS (ANFARMAG). Panorama Setorial Anfarmag: Farmácias de Manipulação Brasileiras. São Paulo: ANFARMAG, 2016.

BRASIL. LEI Nº 11.788, de 25 de setembro de 2008 (Estágio de estudantes). Disponível em: http://migre.me/vuvwk. Acesso em: 30 mai. 2016.

BRASIL. Lei Nº 123, de 14 de dezembro de 2006 (Lei Geral das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte). Disponível em: http://migre.me/vuvwA. Acesso em: 09 out. 2015.

BRASIL. LEI Nº 13.021, de 08 de agosto de 2014 (Exercício e Fiscalização das atividades farmacêuticas). Disponível em: http://migre.me/vuvwV. Acesso em: 30 out. 2015.

CESAR, A. M. R. V. C. Método do Estudo de Caso (Case Studies) ou Método do Caso (Teaching Cases)? Uma análise dos dois métodos no Ensino e Pesquisa em Administração. Disponível em: http://migre.me/vuvxK. Acesso em: 01 ago. 2016.

CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO (CRF-SP). Comissão de Farmácia Clínica. Disponível em: http://migre.me/vuvy4. Acesso em: 10 nov. 2016.

_____. Farmácia Estética. São Paulo: São Paulo: CRF-SP, 2016.

DATASEBRAE. Disponível em: http://sistema.datasebrae.com.br/. Acesso em: 13 nov. 2016.

EMPRESÔMETRO MPE. Disponível em: http://empresometro.cnc.org.br/. Acesso em: 13 nov. 2016.

ePHARMA. Pesquisa de lojas localizadas em João Pessoa. Disponível em:

http://migre.me/vuvyt. Acesso em: 02 ago. 2016.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). Manual de Oslo: Proposta de Diretrizes para Coleta e Interpretação de Dados sobre Inovação Tecnológica. 3. Ed. FINEP, 2005.

_____. OCDE descreve o atual momento do Brasil como “crítico”. Disponível em:

http://migre.me/vuvyD. Acesso em: 02 ago. 2016.

PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA (PMJP). Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – PMGIRS. Disponível em: http://migre.me/vuvyT. Acesso em: 03 ago. 2016.

QUEYRAS, Joachim; QUONIAM, Luc. Inteligência competitiva. In: TARAPANOFF, Kira (Org.). Inteligência, informação e conhecimento. Brasília: IBICT; UNESCO, 2006.

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO PARANÁ (SEBRAE PARANÁ). Guia para a Inovação: Instrumento para a melhoria das dimensões da inovação. 2. ed. Curitiba: Bachmann & Associados, 2015.

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DA PARAÍBA (SEBRAE PARAÍBA). O caminho para inovar. João Pessoa, Sebrae, 2015.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (SEBRAE NACIONAL). Sobrevivência das empresas no Brasil. Brasília: Unidade de Gestão Estratégica (UGE), 2013.

_____. Disponível em: https://www.sebrae.com.br. Acesso em: 09 jul. 2016.

_____. Inteligência Competitiva para pequenas empresas. Disponível em: http://migre.me/vuvzc. Acesso em: 09 jul. 2016.

STEWART, Thomas A. Capital intelectual: a nova vantagem competitiva das empresas. 15 ed. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

TARAPANOFF, Kira. Informação, Conhecimento e Inteligência em corporações: relações e complementariedade. In: ______. Inteligência, Informação e Conhecimento. Brasília: IBICT, UNESCO, 2006.

Publicado
2018-12-30
Seção
Relatos de Experiência