ROSTOS QUE CLAMAM: da lágrima à resistência nas imagens de retratos de identificação

Resumo

O artigo busca aproximar a partir de uma reflexão sobre os conceitos de rostidade de E. Lévinas, J. Butler e R. Barthes a questão de uma política das imagens. Por isso, tentamos nos debruçar sobre uma perspectiva ética na análise dos mugshots (as fotos de prisioneiros) realizadas pelos perpetradores da violência durante a ditadura civil-militar brasileira, sobretudo as imagens dos rostos de Chael Charles Schreier e Maria Auxiliadora Lara Barcelos, a Dora.

Biografia do Autor

Frederico Vieira

Doutor em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Minas Gerais.

Ricardo Lessa Filho

Doutor em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco.

Publicado
2019-12-31
Seção
Relatos de Pesquisa