REPRESENTAÇÕES INDÍGENAS NA CARTOGRAFIA COLONIAL DO BRASIL CENTRAL

  • Kênia Gonçalves Costa Universidade Federal de Goiás
  • Alecsandro J. P. Ratts Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Cartografia Colonial, Indígenas, Território

Resumo

O presente trabalho analisa as representações indígenas na cartografia colonial. O recorte espacial proposto, o Brasil Central, se faz necessário por coincidir com área de abrangência da pesquisa que vem discutindo as representações cartográficas dos índios Karajá e Javaé que constituem na sua autodenominação o povo Iny que vive na área do Rio Araguaia. Ao iniciarmos a revisão bibliográfica e cartográfica foi possível perceber que historicamente as referências indígenas foram sendo registradas, com relativa imprecisão, pelos cartógrafos coloniais nos mapas desta região e naquele período. Desta forma, suscitou o interesse de compreender como foram vistos os povos indígenas no período colonial desta região denominada de várias maneiras: “sertão”, “terra dos gentios”, “Brasil Central”, dentre outras. Neste período a formação territorial brasileira passa por situações tensas e conflituosas. A cartografia histórica permite com suas representações a contextualização da dinâmica sócio-espacial e cultural de grupos étnicos formadores da população brasileira.

Biografia do Autor

Kênia Gonçalves Costa, Universidade Federal de Goiás
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Geografia (IESA/UFG). Professora convidada do curso de Educação Intercultural no Núcleo de Takinahaky de Formação Superior Indígena da Universidade Federal de Goiás.
Alecsandro J. P. Ratts, Universidade Federal de Goiás
Professor Doutor Instituto de Estudos Sócio-Ambientais da Universidade Federal de Goiás.Orientador do Programa de Pós-Graduação em Geografia (IESA/UFG).
Publicado
2014-12-06
Seção
Artigos