MAPEAMENTO DAS UNIDADES GEOAMBIENTAIS DO MUNICÍPIO DE CASTELO DO PIAUÍ: SUBSÍDIO AO PLANEJAMENTO AMBIENTAL

  • Francílio de Amorim dos Santos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí / Campus Piripiri.
  • Cláudia Maria Sabóia de Aquino Universidade Federal do Piauí / Campus Ministro Petrônio Portela
Palavras-chave: paisagem, abordagem integrada, modelo digital de elevação, geoprocessamento.

Resumo

O conhecimento e integração dos elementos constituintes da dinâmica da paisagem são sumamente importantes para subsidiar o planejamento ambiental e minimizar os processos de degradação. O presente trabalho teve como objetivos: i) mapear as unidades geoambientais do município de Castelo do Piauí; ii) realizar caracterização física das mesmas com base em dados secundários e ainda iii) conhecer suas potencialidades e limitações. O emprego da abordagem integrada, considerando os aspectos topo-morfológicos foi empregado para mapear as seguintes unidades geoambientais: Vale da Bacia do rio Poti, Patamares Estruturais da Bacia do rio Poti, Superfície Pedimentada Dissecada em Morros/Colinas e Formas Tabulares de Castelo do Piauí e os Rebordos Cuestiformes do Interior da Bacia Sedimentar do Maranhão/Piauí. A metodologia em questão permitiu apontar potencialidades tais como: afloramentos da Formação Cabeças, para extração de rochas areníticas e através do Parque Municipal Pedra do Castelo desenvolvimento de atividades turísticas; os mais de 80% de relevo plano a suave ondulado associado a Latossolos Amarelos em aproximadamente 42% das unidades, possibilitam o desenvolvimento de atividades agropecuárias. Entretanto, a presença de climas do tipo subúmido seco e semiárido, respectivamente, em 73,8% e 5,8% da áreaaliado aos 14,5% da área com 7 a 8 meses secos epresença de solos pouco desenvolvidosaliados à cobertura vegetal espaçada, acentuam a vulnerabilidade ambiental das unidades.Portanto, o conhecimento das potencialidades e limitações ecológicas das unidades ambientais do município de Castelo do Piauí é fundamental para fins de exploração racionaldos recursos naturais, planejamento e uso sustentável dos mesmos no município.

Biografia do Autor

Francílio de Amorim dos Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí / Campus Piripiri.
Licenciado em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (2007); Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual do Piauí (2010); Especialista em Docência do Ensino Superior e em Gestão Ambiental e Ecoturismo pela Faculdade Montenegro (2009); Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Piauí (2015). É Revisor da Revista Eletrônica Caderno de Geografia (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUCMG) e Revista Clóvis Moura de Humanidades (Universidade Estadual do Piauí - UESPI). Atualmente, faz parte do Grupo de Pesquisa em Geografia Física, da Universidade Federal do Piauí. Tem experiência em estudos sobre degradação/desertificação, bacias hidrográficas e ensino de ciências, com publicações de manuscritos completos em periódicos e em anais de eventos. É professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí/Campus Piripiri, Classe D III, Nível I, em regime de Dedicação Exclusiva. Tem interesse nas temáticas sobre Degradação/Desertificação, Geoprocessamento, Sensoriamento Remoto, Bacias Hidrográficas e Ensino de Ciências.
Cláudia Maria Sabóia de Aquino, Universidade Federal do Piauí / Campus Ministro Petrônio Portela
Possui graduação em Licenciatura Plena Em Geografia pela Universidade Federal do Piauí (1999), mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará (2002) e doutorado em Geografia pela Universidade Federal de sergipe (2010). Atualmente é professora Adjunta da Universidade Federal do Piauí, onde atua na pesquisa e no ensino de graduação e pósgraduação (Programa de PósGraduação de Geografia da UFPI), em disciplinas e temas relacionados à Geografia Física. É Editorachefe da Revista eletrônica EQUADOR e Líder do Grupo de Pesquisa em GEOGRAFIA FÍSICA juntamente como o Dr. Gustavo Souza Valladares. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Análise Ambiental. Tem interesse nos temas da Geografia Física com destaque para: Bacia hidrográfica, Desertificação e planejamento ambiental.
Publicado
2016-01-07
Seção
Artigos