VALORIZAÇÃO E PRESERVAÇÃO DA FAVELEIRA (C. quercifolius) PARA O DESENOVLVIMENTO SUSTENTÁVEL DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO

  • Magdi Ahmed Ibrahim Aloufa
  • Josimar Araújo de Medeiros Dourando em Desenvolvimento e Meio Ambiente. Prodema/UFRN. Base de Pesquisa Espaço e Sociedade (UFRN/CERES/CAMPUS DE CAICÓ) Professor do Departamento de Botânica e Zoologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Coordenador do Laboratório de Biotecnologia de conservação de espécies nativas do Rio Grande do Norte – LABCEN.
Palavras-chave: Vegetal endêmico, Resiliência, Caatinga, Desenvolvimento

Resumo

O Semiárido brasileiro tem no Bioma Caatinga um exemplo de adaptação às oscilações na oferta de água. O presente trabalho objetiva compreender as possibilidades socioeconômicas e socioambientais as quais a faveleira oferece para a sua exploração como lavoura xerófita nas áreas em processo de desertificação. Para realização do trabalho foram compendiadas publicações contidas em livros e artigos sobre essa xerófita escritos nos últimos 38 anos. Enriqueceram as informações do manuscrito estudos de campo realizados pelos autores, junto a populações, em áreas rurais com a presença dessa xerófita. Entre as referências que fundamentaram o manuscrito 30 são trabalhos resultados de pesquisas que foram realizadas apontando a resiliência desse vegetal com as condições edafoclimáticas da região, com a fauna e a flora silvestre, na alimentação humana e dos seus animais, como fitoterápico, produto madeireiro, na geração de energia, além de estudos focados na sua propagação. Todas as partes desse vegetal são aproveitadas. Apresenta relevância na manutenção da fauna silvestre, de outras espécies da flora que se desenvolve sob o seu dossel, na reabilitação de áreas degradas além de relevantes na alimentação humana, dos animais, produção de medicamentos, como produto madeireiro e na geração de energia.

Biografia do Autor

Josimar Araújo de Medeiros, Dourando em Desenvolvimento e Meio Ambiente. Prodema/UFRN. Base de Pesquisa Espaço e Sociedade (UFRN/CERES/CAMPUS DE CAICÓ) Professor do Departamento de Botânica e Zoologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Coordenador do Laboratório de Biotecnologia de conservação de espécies nativas do Rio Grande do Norte – LABCEN.
Geógrafo, Esp. em Bioeoclogia, Ms. em Engenharia sanitária
Publicado
2016-12-28
Seção
Artigos