O USO INTENSIVO DE AGROTÓXICO - A NOVA FACE DA QUESTÃO AGRÁRIA

  • Luciano Alves Pereira UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE
  • Raimunda Aurea Dias de Sousa UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE
Palavras-chave: Campo, agrotóxico, agronegócio, questão agraria, agricultura.

Resumo

A questão agrária no Brasil, desde a consolidação do sistema capitalista, é marcada pela concentração de terra; todavia, é com o discurso da necessidade do aumento da produção agrícola devido ao crescimento populacional, que o capital produz na agricultura cultivos, que permitem ser produzidos em larga escala, de preferência, mecanizados. Essa realidade, possibilita movimentar o mercado de máquinas, insumos químicos e sementes transgênicas, ao tempo que controla o campo, sem, necessariamente, apropriar-se da terra de forma direta. Nesse raciocínio, o presente trabalho tem por objetivo analisar a intensificação da questão agrária a partir da apropriação da renda da terra, mediante controle das relações de trabalho e do tipo de cultivo, que, por sua vez, exige tecnologias avançadas e uso de agrotóxicos, para, assim, aumentar a produção e produtividade no campo.

Biografia do Autor

Luciano Alves Pereira, UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE
Graduando em Geografia pela Universidade de Pernambuco - UPE, bolsista da iniciação cientifica, integrante do grupo de pesquisa sociedade natureza do vale do São Francisco, e integrante do centro de estudos agrários- CEA.
Raimunda Aurea Dias de Sousa, UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO - UPE
Professora Adjunta da UPE/Campus Petrolina, pesquisadora dos grupos de pesquisa - GPECT – Grupo de Pesquisa Estado, Capital, Trabalho e as Políticas de Reordenamentos Territoriais - UFS e Grupo de Pesquisa em sociedade e Natureza no Vale do São Francisco –UPE/Petrolina. Professora do Programa de Pos-Graduação em Educação - Formação de Professores e Praticas Interdisicplinares
Publicado
2016-09-18
Seção
Artigos