MEMÓRIAS: ENCONTROS DE UMA ESPACIALIDADE RELIGIOSA

Palavras-chave: espacialidade, memória, Geografia da Religião.

Resumo

O presente artigo aborda a reflexão sobre a espacialidade cultural religiosa e a sua relação com a memória dos praticantes religiosos. Apresenta, assim, o estudo de caso realizado em duas comunidades religiosas umbandistas, entre os anos de 2013 e 2015, os quais compuseram parte do cabedal de investigações de campo exercido no doutorado. Esta leitura sobre as espacialidades religiosas, intermediada pela memória presente dos praticantes religiosos, objetiva o uso da oralidade, nas pesquisas em Geografia. E tem como meta compreender a utilização do estudo da memória dos entrevistados como aporte empírico da pesquisa qualitativa em Geografia da Religião. Neste sentido, a pesquisa consiste ainda no diálogo geográfico, pautado na exposição das falas que permitiram pressupostos para análise das lembranças devocionais e suas espacialidades, na compreensão das manifestações sociais no espaço, onde é cultivada a sacralidade religiosa. Deste modo, o estudo justifica-se na ciência geográfica por apresentar a meta de “discutir” a afinidade do homem com o ambiente, salientando a cultura na forma de interpretar as interações do “Ente” com o espaço e com o próprio homem e seus símbolos. Para isto, o estudo apresenta como resultado as reflexões concernentes às lembranças das comunidades religiosas rio-granadinas: Centro Espiritualista “Reino de São Jorge” e Centro Espiritualista “Tenda de São Jorge”, ambas sob as atribuições teóricas da Geografia, da Filosofia e da Sociologia na sua análise.

Biografia do Autor

Rogério Amaral Pereira, Universidade Federal do Paraná - UFPR
Doutor em Geografia pela UFPR
Publicado
2017-07-16
Seção
Artigos