O ESPETÁCULO DAS “RELÍQUIAS INANIMADAS DOS MORTOS”: O JORNAL A UNIÃO E OS NEGÓCIOS DA PARAHYBA DO NORTE NA PRIMEIRA REPÚBLICA

  • Wilma Guedes de Lucena Universidade Federal da Paraíba, UFPB

Resumo

As teses de Walter Benjamin sobre o conceito de história são, a nosso ver, provocadoras para os estudiosos que se detêm ao passado. Elas estimulam o questionamento acerca dos bens culturais de outrora, tornados fontes documentais nas pesquisas histórico-geográficas, e provocam-nos a elaborar uma outra forma de tratar e evidenciar esse passado e a sociedade que o caracterizava, bem como o espaço nela produzido. Com base nisso, objetivamos problematizar as fontes documentais – especialmente os textos da Imprensa Oficial – que na Primeira República foram espetacularizadas e instrumentalizadas no processo de expansão e reprodução capitalistas na e da Parahyba do Norte. A discussão é feita a partir de uma série documental, qual seja o jornal A União, que constituía a imprensa oficial na Parahyba do Norte no período republicano. Ao final do texto, propomos um debate de método que busque dessacralizar as fontes documentais, “relíquias inanimadas dos mortos” segundo Hobsbawn, para enfim elaborarmos outras perspectivas histórico-geográficas, que ressalte o ponto de vista dos subalternizados e que seja ativa e transformadora, como propôs Benjamin.

Biografia do Autor

Wilma Guedes de Lucena, Universidade Federal da Paraíba, UFPB
Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal da Paraíba
Publicado
2019-12-28
Seção
Tópicos OKARA