MÉTODO FOTOCOMPARATIVO: UMA PROPOSTA DE CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO GEOGRÁFICO

  • Luis Felipe Fernandes Barros
  • Marcelo dos Santos Chaves
Palavras-chave: Ensino de Geografia, Método fotocomparativo, paisagem

Resumo

No mundo contemporâneo, freqüentemente tratado como a expressão perfeita da globalização, as relações sociais tem se tornado tão fluidas quanto artificiais. Surgem novos meios de interação entre as pessoas, geralmente mediados por aparelhos eletrônicos e há um afastamento das interações de cunho mais interpessoais. Esta realidade também adentrou aos espaços escolares e atualmente verificam-se novas nuances na relação professor-aluno/aluno-professor. Os profissionais da Educação vêm sendo instigados em suas atividades diárias á enfrentar verdadeira batalha, na busca de tornar suas aulas atrativas e dinâmicas, visando assim a transformação de uma sociedade dominada pelo paradigma do consumo e bastante apática diante da geopolítica do país. Mesmo diante desta situação ainda há àqueles que buscam trilhar caminhos alternativos e eficazes diante de tamanho desafio. A questão que se impõe é: como ensinar os conteúdos geográficos para alunos cercados de estímulos visuais e eletrônicos, que são muito mais atrativos que as aulas, principalmente quando se sabe que esse professor, muitas vezes, só tem a lousa e o giz como material expositivo? Para a ciência geográfica, que se propõe a ser uma fonte do saber visando à transformação social, a explanação de seus conteúdos, de suas teorias e abordagens, podem ser trabalhados sobre métodos simples, porém atrativos e elucidativos das transformações ocorridas no mundo moderno, bem como na análise da dinâmica terrestre. Uma dessas formas é o método fotocomparativo/fotointerpretativo, baseado na observação da paisagem (como conceito-base) para se chegar então à discussão da complexidade do Espaço Geográfico, objeto de estudo dessa Ciência.
Publicado
2012-06-27
Seção
Artigos