COMERCIALIZAÇÃO AGRÍCOLA NO BRASIL

  • Diana Mendonça Carvalho
  • José Eloízio da Costa
Palavras-chave: Comercialização Agrícola, cadeia produtiva e políticas públicas

Resumo

A comercialização agrícola se apresenta como a atividade mais complexa dentre aquelas que envolvem o sistema da agricultura, uma vez que se trata do momento em que a produção assume a condição de mercadoria. Essa condição envolve a integração de mercados, compreendendo diversos segmentos que se apropriam da produção e passam a impor metas de quantidade e de qualidade, formando cadeias, redes ou arranjos produtivos. O presente trabalho buscou apresentar uma análise teórica e histórico-espacial sobre a cadeia produtiva e a comercialização de produtos agrícolas no Brasil, com ênfase na relação campo-cidade. Essas reflexões partiram dos questionamentos sobre as especificidades existentes na cadeia produtiva e na comercialização agrícola. Para tanto foi realizado levantamento bibliográfico e análise teórica dos seguintes aspectos: “Cadeia produtiva”, “Comercialização agrícola” e “Políticas Públicas no Brasil. Nesse país, a atividade agrícola e sua comercialização é historicamente dinâmica, tendo acarretado o enlace da relação campo-cidade em várias regiões e contribuído para a formação de “arquipélagos urbano-econômicos”. Durante quase quatro séculos o país se voltou inteiramente à produção de gêneros agrícolas para exportação. A partir do século XX, a utilização de capital, tecnologia e informação nas atividades produtivas do campo criou uma nova relação rural-urbana, na qual o estado participou com investimentos, e auxiliou para a associação do capital privado nacional com o internacional na implementação de infra-estrutura, incentivos fiscais, programas e pesquisas.
Publicado
2012-06-27
Seção
Artigos