O fluxo da informação tecnológica no projeto de produtos em indústrias de alimentos

  • Renata Gonçalves Curty
Palavras-chave: Processo de Inovação. Inovação Industrial. Inovação Tecnológica. Desenvolvimento de Novos Produtos. Informação Tecnológica. Fluxo da Informação. Gerenciamento da Informação. Indústria Alimentícia.

Resumo

O fluxo da informação tecnológica no projeto de produtos em indústrias de alimentos. 2005. 246 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005. O setor alimentício está envolto em um ambiente altamente dinâmico regido por constantes mudanças dos padrões de consumo. Paralelamente, a busca por inovações através da agregação de valor aos produtos e aos processos de produção requer que as indústrias do setor atentem-se para o fluxo informacional do processo, com o objetivo de melhor gerenciá-lo e, por conseqüência, obterem vantagens e benefícios da sistematização das informações tecnológicas, com vistas ao desenvolvimento de produtos de maior qualidade, possibilidade de absorção, aceitabilidade comercial e compatibilidade com as expectativas dos consumidores. Observando a importância da inovação para a indústria de alimentos, bem como do fluxo informacional que permeia esse processo, a presente dissertação de mestrado analisou o fluxo da informação tecnológica no projeto de desenvolvimento de produtos em duas indústrias de grande porte do setor de alimentos do Estado do Paraná, tendo como referencial de modelo de inovação o Processo de Desenvolvimento de Produtos Alimentícios (PDPA) de Santos (2004) para a determinação dos setores e dos sujeitos (gatekeepers e colaboradores) participantes das atividades de projeto informacional e conceitual. A pesquisa que se configura como um estudo multicaso qualiquantitativo, analisou o fluxo informacional basicamente sob quatro perspectivas: 1) as fontes e os canais de informação utilizados; 2) as barreiras de busca e acesso da informação; 3) os determinantes para seleção das fontes e canais de informação utilizados e; 4) a motivação de busca por informação. A partir da análise das entrevistas semi-estruturadas realizadas com os gatekeepers, da observação e dos questionários aplicados aos colaboradores industriais, foi possível evidenciar que o fluxo da informação pode seguir características, predominantemente, verticais ou horizontais de acordo com a modalidade gerencial da empresa. Apesar das disparidades subjacentes às modalidades e às estruturas gerenciais das indústrias investigadas, as tecnologias de informação e comunicação (TICs), bem como os canais e as fontes de informação envolvidas no processo mostraram-se similares. Foram observadas diferenças entre os dois atores pesquisados, não somente em termos da posição de liderança que ocupam na indústria, como também nos hábitos informacionais destes. Finaliza tecendo considerações sobre a necessidade do gerenciamento sistemático da informação e do monitoramento e prospecção tecnológica como mecanismos fundamentais para a estratégia competitiva das indústrias. Propõe a necessidade de pesquisas futuras face à importância da compreensão do fluxo informacional como objeto de estudo da Ciência da Informação e das constantes modificações que as novas tecnologias promovem nas relações de uso, acesso e busca da informação, e ainda; pelo fato de o setor industrial ser um campo de atuação e de pesquisa pouco explorado pela categoria profissional bibliotecária. http://www.cin.ufsc.br/pgcin/pgcin.htm
Publicado
2006-08-15
Seção
New Section Title Here