Direito Constitucional, Pandemia e Globalização

Palavras-chave: Crise Sanitária. Direito Constitucional. Globalização. Populismo. Democracia. Empresas de tecnologia.

Resumo

Neste trabalho, analisa-se a crise sanitária e sua relação com o direito constitucional e com a globalização. Confirma-se que as tendências de aceleração da globalização são as que se impõem, embora a intervenção do Estado no controle da crise sanitária possa dar a impressão equivocada de que haverá um fortalecimento dos Estados no futuro. Analisa-se também a relação entre a crise sanitária e os movimentos e lideranças populistas. Argumenta-se que os anticorpos que historicamente se desenvolveram contra o fascismo não são tão operativos contra o populismo porque foram orientados para controlar a ação do Estado, enquanto o populismo tem se caracterizado justamente pela inação do Estado diante de uma crise que requer uma intervenção decidida dos poderes públicos para preservar os direitos à saúde e à vida dos cidadãos.

Biografia do Autor

Francisco Balaguer Callejón, Universidad de Granada, Departamento de derecho constitucional, Granada, España.

Catedrático de Derecho Constitucional de la Universidad de Granada y Catedrático Jean Monnet “ad personam” de Derecho Constitucional Europeo y Globalización. 

Publicado
2020-12-03
Como Citar
CALLEJÓN, F. B. Direito Constitucional, Pandemia e Globalização. Prim Facie, v. 19, n. 42, p. 16-36, 3 dez. 2020.