Práticas Contábeis Adotadas por Entidades do Terceiro Setor: Uma Análise Junto a Templos Religiosos de Pernambuco à Luz da ITG 2002

  • Priscila Karla Ferreira da Silva Universidade Federal de Pernambuco
  • José Jonas Alves Correia Universidade Federal de Pernambuco - UFPE
  • Andreza Cristiane Silva de Lima Universidade Federal de Pernambuco
  • Filipe Emmanuel Alves da Silva Universidade Federal de Pernambuco
  • Luiz Carlos Miranda Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: Entidades Sem Fins Lucrativos, Entidades Religiosas, Práticas Contábeis, ITG 2002

Resumo

Objetivo: Este estudo teve como objetivo verificar o grau de aderência das entidades religiosas, quanto à ITG 2002, em suas práticas contábeis. 

Fundamento: As entidades religiosas, embora não obrigadas a publicarem seus relatórios contábeis de prestação de contas, quando optarem por elaborar e divulgar suas demonstrações, devem seguir as normas e recomendações do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) para a elaboração das demonstrações contábeis. Os templos, como pessoas jurídicas de direito privado sem finalidade de lucros, devem seguir a ITG 2002, documento aprovado pela Resolução CFC nº 1.409/2012.

Método: Foram estudadas as demonstrações contábeis de quinze templos religiosos do Estado de Pernambuco, sendo a escolha realizada por critério de conveniência. A coleta de dados se deu através da técnica de survey, com aplicação de um questionário semiestruturado, visando observar se as práticas contábeis adotadas pelas entidades estavam em conformidade com a norma. ITG 2002 Para analisar os dados adotou-se o procedimento de análise de conteúdo.

Resultados: A pesquisa revelou que as práticas contábeis adotadas pelas entidades religiosas do Estado de Pernambuco não estão totalmente em conformidade com a Interpretação Técnica pertinente (ITG 2002). Há, portanto, oportunidade para os templos religiosos adotarem boas práticas no âmbito contábil e gerencial. Embora a aplicação deste normativo não seja obrigatório por lei, sua utilização pode contribuir para aumentar a transparência e a accountability dessas entidades, já que elas são mantidas por meio de doações.

Contribuições: O estudo é relevante porque permite que se conheçam as práticas contábeis adotadas pelos templos religiosos e também por revelar que há oportunidades para melhorias na prestação de contas dessas entidades para seus constituintes e provedores de recursos.

Biografia do Autor

Priscila Karla Ferreira da Silva, Universidade Federal de Pernambuco
Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Pernambuco – PPGCC/UFPE 
José Jonas Alves Correia, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Pernambuco – PPGCC/UFPE 

Andreza Cristiane Silva de Lima, Universidade Federal de Pernambuco
Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Pernambuco – PPGCC/UFPE 
Filipe Emmanuel Alves da Silva, Universidade Federal de Pernambuco
Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal de Pernambuco – PPGCC/UFPE 
Luiz Carlos Miranda, Universidade Federal de Pernambuco

Ph. D no Program In Agribussiness. Professor do Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis e Atuariais da UFPE.

Publicado
2017-08-30
Como Citar
Silva, P. K. F. da, Correia, J. J. A., Lima, A. C. S. de, Silva, F. E. A. da, & Miranda, L. C. (2017). Práticas Contábeis Adotadas por Entidades do Terceiro Setor: Uma Análise Junto a Templos Religiosos de Pernambuco à Luz da ITG 2002. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 5(3), 123-139. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/index.php/recfin/article/view/32430
Seção
Seção Nacional

Artigos mais lidos do (s) mesmo (s) autor (es)