Fatores Determinantes da Composição E Endividamento das Empresas Listadas na BM&FBovespa entre os Mandatos Presidenciais Lula (2007-2010) e Dilma (2011-2014)

  • Lara Fabiana Dallabona Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
  • Eloiza Gesser Radloff Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
  • Michele Gonçalves Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Palavras-chave: Endividamento, Composição do Endividamento, Endividamento Geral, BM&FBovespa.

Resumo

Objetivo: Analisar quais variáveis econômico-financeiras explicam a composição do endividamento das cem maiores e menores empresas listadas na BM&FBovespa entre os mandatos presidenciais Lula (2007-2010) e Dilma (2011-2014).Analisar variáveis que explicam a composição do endividamento das empresas nos mandatos presidenciais Lula (2007-2010) e Dilma (2011-2014).Método: Utilizou-se regressão linear múltipla.Resultados: Os resultados apontaram que em 2007, as variáveis ROA, ROE, ativo total, patrimônio líquido, liquidez geral e liquidez corrente apresentaram significância em uma das três variáveis dependentes. A variável crescimento apresentou significância em apenas uma variável dependente entre os anos 2009 e 2011. As variáveis liquidez geral e liquidez corrente apresentaram significância em todos os períodos analisados, diferente da variável ROE, que não apresentou significância em 2013. A variável ROA também apresentou significância em todos os períodos. A variável Patrimônio Líquido apresentou significância em relação a algumas variáveis dependentes. Por sua vez, as variáveis rentabilidade do ativo e liquidez geral apresentaram maior significância em relação a variável dependente endividamento geral nos períodos analisados. Contribuições: Conclui-se que apenas a variável composição do endividamento apresentou diferença entre os dois períodos (sobre as 100 maiores), observando que no primeiro período (2007-2010) foi explicado por sete variáveis independentes, quais sejam: Liquidez geral, Liquidez corrente, Patrimônio líquido, ROA, Ativo total e Crescimento, enquanto que no segundo período (2010-2014), foi explicado apenas pela liquidez corrente.

Biografia do Autor

Lara Fabiana Dallabona, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
Doutora em Ciências Contábeis e Administração (FURB)Professora efetiva da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC/CEAVI
Publicado
2018-08-30
Seção
Seção Nacional