Escritórios de Gestão de Projetos no Setor Público à Luz do Paradigma da Nova Administração Pública

Resumo

Esse estudo analisa os Escritórios de Gestão de Projetos (PMOs) em organizações públicas e o paradigma da New Public Management (NPM). Trata-se de uma pesquisa qualitativa, um estudo multicaso, analisando as percepções dos gestores de dois PMOs. Os resultados indicam uma forte associação dessas iniciativas com os pressupostos da NPM, presente tanto na implantação das unidades analisadas como em práticas e métodos gerenciais por elas realizados ou disseminados. Espera-se que este estudo possa auxiliar gestores públicos no planejamento e na implementação de práticas de gestão de projetos, assim como pesquisadores interessados na temática.

Referências

Abrúcio, F. L. (1997). O impacto do modelo gerencial na administração pública: um breve estudo sobre a experiência internacional recente. Cadernos ENAP, Brasília, 10.

Anderson, P. (1995). Balanço do neoliberalismo. In: Sader, E. (Org.). Pós- neoliberalismo – As políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz & Terra.

Aubry, M., & Hobbs, B. (2011). A fresh look at the contribution of project management to organizational performance. Project Management Journal, 42, 3-16.

Bourne, M., Mills, J., Wilcox, M., Neely, A., & Platts, K. (2000). Designing, implementing and updating performance measurement systems. International Journal of Operations & Production Management, 20 (7), 754–771.

Bresser-Pereira, L. C. (1998). Uma reforma gerencial da Administração Pública no Brasil. Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais, v.4, n.1, julho/2019, pp. 05-28. 25MELO, Antony; DOLCI, Décio Bittencourt; CERQUEIRA, Lucas Santos. Escritórios de Gestão

de Projetos no Setor Público à Luz do Paradigma da Nova Administração Pública

Revista do Serviço Público, 49, 5-42.

Bryde, D. J. (2003). Modelling Project Management Performance. International Journal of

Quality & Reliability Management, 20 (2), 229-254.

Burrel, G.; & Morgan, G. (1979). Sociological Paradigms and Organizational Analysis.

London: Heinemann.

Carbone, P. P. (2000). Cultura organizacional do setor público brasileiro: desenvolvendo uma

metodologia de gerenciamento da cultura. Revista de Administração Pública, 34, 1-5.

Carneiro, M. PMO no setor público. (2012). In: BARCAUI, A. PMO: Escritórios de Projetos,

Programas e Portfólio na prática (pp. 104-134). Rio de Janeiro: Brasport.

Carvalho, K. E. M.; Piscopo, M. R. (2014). Fatores de Sucesso da Implantaçao de um PMO:

um caso na Administraçao Pública. Revista Gestão & Tecnologia, 14, 56-78.

Cezar, L.C.; Behr, R. R.; Reis, M. C. T.; Santos, S. N.; & Barbosa, T. R. C. G. (2015,

setembro) A Comunicação Governamental em Tempos da New Public Management: Proposta

de um Modelo de Análise da Comunicação em Políticas Públicas. Anais do Encontro Nacional

da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Belo Horizonte,

MG, Brasil.

Cintra, R. F., & Vieira S. F. A. (2007, setembro). O Processo de Implantação da Gestão de

Projetos em Órgãos Públicos: um Estudo de Caso na Prefeitura Municipal de Dourados/MS.

Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em

Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Cleland, D. I., & Ireland, L. R. (2002). Gerência de projetos. Rio de Janeiro: Reichmann &

Affonso.

Creswell, J. W. (2007). Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2 ª Ed.,

São Paulo: Artmed.

Costa, A. M., Lima, D. M. C., Barros, D. F., & Martins, P. E. M. (2010, novembro). Alinhando

Discursos: As Práticas Empreendedoras das Empresas Juniores à Luz da New Public

Management. Anais do Encontro de Administração Pública da Associação Nacional de Pós-

Graduação e Pesquisa em Administração, Vitória, ES, Brasil.

Costa, F. L., & Costa, E. M. L. (2016). Nova história da administração pública brasileira:

pressupostos teóricos e fontes alternativas. Revista de Administração Pública, 50, 215-236.

Englund, R. L., Graham, R. J., & Dinsmore, P. C. (2003). Creating the project office. San

Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais, v.4, n.1, julho/2019, pp. 05-28.

MELO, Antony; DOLCI, Décio Bittencourt; CERQUEIRA, Lucas Santos. Escritórios de Gestão

de Projetos no Setor Público à Luz do Paradigma da Nova Administração Pública

Francisco: Jossey-Bass.

Furtado, M., Fortunato, G., & Teixeira, A. (2011). A percepção dos gestores da área pública

sob a política de gerenciamento de projetos. Revista Eletrônica Sistemas & Gestão, 6, 167-183.

Guimarães, T. A. (2000). A nova administração pública e a abordagem da competência. Revista

de Administração Pública, 34, 125-140.

Kerzner, H. (2009). Project management: a systems approach to planning, scheduling, and

controlling. 10th ed. New Jersey: John Wiley & Sons, Inc., 1122 p.

Maximiano, A. C. A., & Anselmo, J. L. (2006). Escritório de gerenciamento de projetos: um

estudo de caso. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 41, 394-403.

Meredith, J. R., & Mantel Jr., S. J. (2003). Administração de projetos: uma abordagem

gerencial. Rio de Janeiro: LTC, 425p.

Müller, R., & Turner, R. (2007). The influence of project managers on project success criteria

and project success by type of project. European Management Journal, 25 (4), 298–309.

Olateju, O. I., Abdul-azeez, I. A., & Alamutu, S. A. (2011). Project management practice in

Nigerian public sector – an empirical study. Australian Journal of Business and Management

Research, 1(8), 1-8.

Parchami Jalal, M., & Matin Koosha, S. (2014). Identifying organizational variables affecting

project management office characteristics and analyzing their correlations in the Iranian

project-oriented organizations of the construction industry. International Journal of Project

Management.

Peci A., Pieranti O. P., & Rodrigues S. (2008). Governança e New Public Management:

convergências e contradições no contexto brasileiro. Revista Organizações & Sociedade

(O&S), 15 (46).

Pestana, C. V. S., & Valente, G. V. P. (2010). Gerenciamento de Projetos na Administraçao

Pública: Da Implantaçao do Escritório de Projetos à Gestão de Portfólio na Secretaria de Estado

de Gestão e Recursos Humanos do Espírito Santo. Congresso de Gestão Pública (CONSAD),

Brasília, Brasil, 3.

Peters, G. B. (2008). Os dois futuros do ato de governar: processos de descentralização e

recentralização no ato de governar. Revista do Serviço Público, 59(3), 289-307.

Pieranti, O. P., Rodrigues, S., & Peci, A. (2007, setembro). Governança e New Public

Management: Convergências e Contradições no Contexto Brasileiro. Anais do Encontro

Revista Brasileira de Políticas Públicas e Internacionais, v.4, n.1, julho/2019, pp. 05-28.

MELO, Antony; DOLCI, Décio Bittencourt; CERQUEIRA, Lucas Santos. Escritórios de Gestão de Projetos no Setor Público à Luz do Paradigma da Nova Administração Pública

Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

PM SOLUTIONS. (2014). The State of the Project Management Office (PMO). Recuperado em 20/11/2015, de http://www.pmsolutions.com/.

Project Management Institute. (2014). PMBOK: Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK). Quinta Edição. Pennsylvania : PMI Publications, 567 p.

Project Management Institute. (2006). Government Extension to the PMBOK® guide. 3 ed. Four Campus Boulevard, Newtown Square, PA.

Rezende, D. A. (2004, novembro). Planejamento estratégico municipal e suas relações com as políticas de gestão de cidades e com a teoria New Public Management. Anais do Encontro de Administração Pública da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Rua, M. G. (1997). Desafios da administração pública brasileira: governança, autonomia, neutralidade. Revista do Serviço Público, 48 (3).

Secchi, L. (2009). Modelos organizacionais e reformas da Administração pública. Revista de Administração Pública, 43 (2), 347-369.

Shenhar, A. J., Levy, O., & Dvir, D. (1997). Mapping the dimensions of project success. The Professional Journal of the Project Management Institute, 28 (2), 5-13.

Teixeira, R. M.; Salles, F. C. (2006). Gestão de Portfólio: A atuação da SEGEP. Recuperado em 13/07/2015, de http://www.pmiba.org.br/uploads/tinymce/files/portf_lio_segep.pdf.

Valle, A. B., Soares, C. A. P., Finocchio Jr., J., & Silva, L. S. F. (2010). Fundamentos de Gerenciamento de Projetos. 2ª ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 237 p.

Walton, E. J., & Dawson, S. (2001). Managers' perceptions of criteria of organizational effectiveness. Journal of Management Studies, 38 (2), 173–199.

Westerveld, E. (2003). The Project Excellence Model®: linking success criteria and critical success factors. International Journal of Project Management, 21, 411–418.

Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos. Segunda Edição. Porto Alegre: Bookman, 200 p

Publicado
2019-07-30