A reapropriação da indústria de cultura pop sul-coreana como estratégia de expansão global e conquista de fãs

Naiane Almeida, Marcos Nicolau

Resumo


A formação de uma indústria cultural sul-coreana renovada, diferenciada e geradora de mudanças ocorreu por meio da reapropriação de formatos e práticas digitais com o propósito de conquistar as mentes e os corações dos fãs, tanto no Oriente quanto no Ocidente. Depois da apropriação midiática realizada pelos usuários no contexto da cibercultura, ocorre agora a reapropriação dos conteúdos reproduzidos pelos fãs, como parte de uma estratégia de comunicação global. O artigo busca compreender de que forma a reapropriação realizada pela Coreia do Sul na construção do K-pop influi na expansão da exportação e conquista da comunidade de fãs nesse mundo multicultural contemporâneo. Para tanto, foi utilizada a teoria do soft power (NYE, 2012; BALLERINI, 2017); o hibridismo cultural e de meios (CANCLINI, 2015; SANTAELLA, 2010) e a cultura da participação (SHIRKY, 2011; JENKINS 2009).

Palavras-chave: Reapropriação. Fandom. K-pop. Soft power. Hibridismo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8931.2019v15n8.47330

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


___________________________________________________________________________________________________________


Periódico indexado nas seguintes bases de dados:
           
_
__________________________________________________________________________________________________________