Watchdog ou disseminador: uma análise da Folha de S. Paulo na cobertura sobre o presidente Jair Bolsonaro e a pandemia de Covid-19 no Brasil

Autores

  • Amanda Menezes

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.1807-8931.2021v17n04.58990

Palavras-chave:

Folha de S. Paulo, Bolsonaro, Watchdog.

Resumo

Entre os papeis desempenhados pelos jornalistas está o de disseminador e o de watchdog ou cão de guarda. No primeiro caso, o jornalista reporta fatos tendo como objetivo a neutralidade e a imparcialidade (ainda que de maneira idealizada), enquanto no segundo assume um papel mais ativo de análise e crítica de lideranças, sejam elas econômicas ou políticas (HANITZSCH e VOS, 2016). Neste trabalho, foi feita análise de conteúdo de 153 capas do jornal Folha de S. Paulo de março a julho de 2020 para entender como foi a cobertura dos atos do presidente Jair Bolsonaro em relação à pandemia e investigar se o jornal assumiu uma postura mais disseminadora ou watchdog. A pesquisa mostra que, embora o papel de disseminador tenha aparecido, isso ocorreu em uma frequência menor que as publicações de reportagens e chamadas de capa críticas e vigilantes.

Downloads

Publicado

2021-04-08

Edição

Seção

Artigos