O arquivo e a informação como patrimônios: uma análise sobre a relevância do centro de documentação da CHESF

Autores

  • Thiago Nunes Soares Universidade Federal do Estado do Rio do Janeiro (UNIRIO) e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).
  • Tatiana Rodrigues Moura Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO)

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2318-6186.2017v5n4.36264

Palavras-chave:

Patrimônio, História, CHESF, Arquivos.

Resumo

Analisa como o arquivo e a informação podem ser concebidos como relevantes patrimônios, tendo como fio condutor das nossas reflexões a importância do surgimento e da atuação do Centro de Documentação (CEDOC) da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF). Trata-se de um órgão governamental brasileiro cuja história está diretamente associada ao desenvolvimento do país, mais especificamente da região Nordeste. Neste sentido, o CEDOC tem sido responsável por preservar, resguardar e controlar a informação e o arquivo em suas multíplices dimensões, pois os seus acervos documentais são tidos como patrimônios relevantes para a história, memória e funcionamento institucional. Durante a pesquisa bibliográfica e de coleta de dados em campo, investigamos o trabalho organizacional desse órgão nas áreas meio e fim, ressaltando as suas atividades de atuação.

Biografia do Autor

Thiago Nunes Soares, Universidade Federal do Estado do Rio do Janeiro (UNIRIO) e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Doutorando em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Mestre em História pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Licenciado em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atualmente, sou Professor do Centro de Educação da UFPE e Professor Executor/Tutor Virtual do curso de História EAD da UFRPE.

Tatiana Rodrigues Moura, Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO)

Especialista em Arquivo e Patrimônio, Artístico, Histórico e Cultural pela UNIVERSO e Licenciada em História pela mesma instituição. Atualmente, é Analista Documental da CHESF e cursa a Especialização em Gestão da Informação, pela UNYLEYA.

Referências

REFERÊNCIAS

ANDRADE, Marcos Vinícius. Gerenciamento Eletrônico da informação: ferramenta para gerência eficiente dos processos de trabalho. Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias, Recife, 2002.

ANDRADE, Manuel Correia de. A Terra e o Homem do Nordeste: contribuição ao estudo da questão no Nordeste. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2005.

BRASIL, Arquivo Nacional. Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

CHESF. Manual de organização da CHESF. Recife: CHESF, 2017.

CONARQ, Conselho Nacional de Arquivos. Classificação, temporalidade e destinação de documentos de arquivo relativos às atividades-meio da administração pública. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2001.

FANTINI, Sergio Rubens. Aplicação do gerenciamento eletrônico de documentos: estudo de caso de escolha de soluções. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Florianópolis, 2001.

GONZAGA, Luiz e DANTAS, Zé. Luiz Gonzaga Canta Seus Sucessos com Zé Dantas: Paulo Afonso, música: ano1955.

JUCÁ, Joselice. CHESF – 35 anos de história. Recife, CHESF, 1982.

KOCH, Walter. Gerenciamento eletrônico de documentos: conceitos, tecnologias e considerações gerais. São Paulo: CENADEM, 1997.

KRAISH, Adriana. M. P. O. O Patrimônio Arqueológico como elemento do patrimônio cultural. In: ANPUH, 2007.

LINS, Rachel Caldas. Uma aproximação hidrográfica com as perspectivas energéticas do Nordeste. Estudos Universitários: Revista da Universidade Federal de Pernambuco, Recife, v.13, n.41-69, out.-dez.1973.

MENDO Carmona, Concepción. Consideraciones sobre el método em Archivística. In: Documenta & Instrumenta, n° 1. 2004. p. 36-47.

NASCIMENTO, Luiz Fernando Motta. Paulo Afonso, Luz e Força Movendo o Nordeste. Empresa gráfica da Bahia, 1998.

PELEGRINI, Sandra C. A. Cultura e Natureza: os desafios das práticas preservacionistas na esfera do patrimônio cultural e ambiental. In: Revista Brasileira de História. São Paulo. 2006, v.26, n° 51, p. 115-140.

PORAT, Marc. The information Economy: definition and measurement. Washington, D.C.: US Department of Commerce, Office Telecomunications, 1977.

STARBIRD, Robert; VILHAUER, Gerald. Como tomar a decisão de implantar a tecnologia do Gerenciamento Eletrônico de Documentos: tudo o que você precisa saber para decidir corretamente. 1ª ed. CENADEM: São Paulo, 158 p., 1997.

THIESEN, Icléia. Memória Institucional. João Pessoa: UFPB, 2013.

Downloads

Publicado

2017-12-30

Como Citar

NUNES SOARES, T.; RODRIGUES MOURA, T. O arquivo e a informação como patrimônios: uma análise sobre a relevância do centro de documentação da CHESF. Archeion Online, [S. l.], v. 5, n. 4, p. 05–21, 2017. DOI: 10.22478/ufpb.2318-6186.2017v5n4.36264. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/archeion/article/view/36264. Acesso em: 15 maio. 2021.