A Organização e representação na Arquivologia

o fio de Ariadne dos arquivos

Autores

  • Jefferson Higino da Silva Universidade Federal da Paraíba
  • Maria Elizabeth Baltar Carneiro de Albuquerque

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2318-6186.2020v8n1.55272

Palavras-chave:

Organização. Representação. Descrição arquivística. Classificação arquivística

Resumo

A organização e a representação na Arquivologia consideram bases dos elementos e dos contextos
presentes nos documentos, assim a projeção desses documentos é permeada por características ligadas à
sua criação. Objetiva-se apresentar pontos da organização e da representação na Arquivologia, por meio
das atividades de classificação e de descrição norteadoras no processo de acesso à informação nos
arquivos, destacando-se a prospecção e o aprofundamentos a respeito da temática. Valemo-nos de revisão
teórica, com abordagem qualitativa e com direcionamentos descritivos. Observa-se que os documentos
possuem particularidades que devem ser consideradas pelas atividades de classificação e de descrição. Em
discussões contemporâneas, o arquivista aparece como um agente mais envolvido com os usuários, com a
construção de sistemas complexos, como agente de organização e de significação nos arquivos. Alguns
estudos no Brasil vêm aprofundado e estabelecendo conexões entre a organização e a representação do
conhecimento nos arquivos e as dimensões da representação temática, seja por meio da indexação, seja
acerca de bases do assunto envolvidas com a classificação e com a descrição arquivística, em consonância
ao documento arquivístico e dos seus entornos.

Biografia do Autor

Jefferson Higino da Silva, Universidade Federal da Paraíba

Técnico em Arquivo da Universidade Federal Rural de Pernambuco e Mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba

Referências

ALENCAR, Paulo José Viana; SCHMIDT, Clarissa Moreira dos Santos. O assunto como
elemento de classificação para documentos de arquivo no início do século XX e suas
influências em abordagens contemporâneas. Inf. Inf. Londrina, v. 24, n. 3, p. 129 – 153,
set./dez.2019. Disponível em:
http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/38681. Acesso
em: 05. jan. 2020.
BARROS, Thiago Henrique Bragato; SOUSA, Renato Tarciso Barbosa. Organização do
conhecimento e Arquivologia: abordagens metodológicas. Informação & Informação,
Lodrina, v. 24, n. 2, p. 76-92, maio/ago. 2019. Disponível em:
http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/38290. Acesso
em: 07 jan. 2020.
BARROS, Tiago Henrique Bragato. A representação da informação Arquivística: uma
Análise do discurso teórico e institucional a partir dos contextos Espanhol, Canadense e
Brasileiro. 2014. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Faculdade de Filosofia e
Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2014.
BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed.
Rio de Janeiro: FGV, 2006.
BELLOTTO, Heloisa Liberalli. Como fazer análise diplomática e análise tipológica de
documentos de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado/Imprensa Oficial do Estado,
2002. 120p.
BRÄSCHER, Marisa; CAFÉ Lígia, Organização da Informação ou Organização do
Conhecimento? In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO,
9., 2008, São Paulo. Anais... São Paulo: ANCIB, 2008. p. 1-14. Disponível em:
https://skat.ihmc.us/rid=1KR7TM7S9-S3HDKP-5STP/BRASCHER%20CAF. Acesso em:
15 maio. 2019.
COOK, Terry. O passado é prólogo: uma história das ideias arquivísticas desde 1898 e a
futura mudança de paradigma. In: HEYMANN, Luciana; NEDEL, Letícia (Org.). Pensar os
arquivos: uma antologia. Rio de Janeiro: FGV, 2018. p. 17-81.
DURANTI, Luciana. Registros documentais contemporâneos como provas de ação.
Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 7, n.13, p. 49-64, 1994. Disponível em:
https://bibliotextos.files.wordpress.com/2012/03/registro-documentaiscontemporc3a2neos-como-provas-de-ac3a7c3a3o.pdf. Acesso em: 15 dez. 2018.
DURANTI, Luciana. The archival bond. Archives and Museum Informatics. Vancouver
(Canadá): Kluwer Academic Publishers, v.11, p. 213–218, 1997.
GUIMARÃES, José Augusto Chaves. A análise documentária no âmbito do tratamento da
informação: elementos históricos e conceituais. In: RODRIGUES, GeorgeteMedleg;
Jefferson Higino da Silva; Maria Elizabeth Baltar Carneiro de Albuquerque
23
LOPES, Ilza Leite. Organização e representação do conhecimento na perspectiva da
Ciência da Informação. Brasília: Thesaurus, 2003. p. 100- 117.
GUIMARÃES, José Augusto Chaves. Organização do Conhecimento: passado, presente e
futuro sob a perspectiva da ISKO. Informação & Informação, Londrina, v. 22, n. 2, p. 84-
98, maio/ago., 2017. Disponível em:
http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/31443/21993.
Acesso em: 10 abril. 2018.
HAGEN, Acácia Maria Maduro. Algumas considerações a partir do processo de
padronização da descrição arquivística. Ciência da Informação, Brasília, v.27, n.3, p.1-7,
1998. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v27n3/27n3a07.pdf . Acesso em: 28
set. 2018.
HJØRLAND, Birger. What is Knowledge Organization (KO)? Knowledge Organization, v.
35, n.2/3, p. 86-101, 2008.
KAPLAN, Elisabeth. Muitos caminhos para verdades parciais: arquivos, antropologia e o
poder da representação. In: HEYMANN, Luciana; NEDEL, Letícia (Orgs). Pensar os
arquivos: uma antologia. Rio de Janeiro: FGV, 2018.
LIMA, José Leonardo Oliveira; ALVARES, Lilian. Organização e representação da
informação e do conhecimento: In: ALVARES, Lilian (Org.). Organização da informação
e do conhecimento: conceitos, subsídios interdisciplinares e aplicações. São Paulo: B4
Editores, 2012. p. 21- 34.
LINDEN, Leolíbia Luana. O tratamento temático da informação em instrumentos
normativos de descrição arquivística. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciência da
Informação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.
LINDEN, Leolíbia Luana; BRÄSCHER, Marisa. O tratamento temático da informação em
instrumentos normativos de descrição arquivística. Em Questão, Rio Grande do Sul, vol.
24, n. 3, p. 96-124, set./dez, 2018. Disponível em:
http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=465656255013. Acesso em: 03 de mar. 2019.
LLANES PADRÓN, Dunia. La descripción archivística em los tempos posmodernos:
conceptos, principios y normas. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2016.
MARAÑÓN, Carlos Oliva. Fundamentos de las normas de descripción Archivística y
bibliotecária. Biblios, [S.l.],n.153, p. 48-66, 2013. Disponível em:
https://biblios.pitt.edu/ojs/index.php/biblios/article/view/128 . Acesso em 12 jan.
2019.
MARQUES, Angelica Alves da Cunha. Interlocuções entre a Arquivologia nacional e a
internacional no delineamento da disciplina no Brasil. 2011. Tese (Doutorado em
Ciência da Informação) – Universidade de Brasília, Brasília, Distrito Federal, 2011.
Jefferson Higino da Silva; Maria Elizabeth Baltar Carneiro de Albuquerque
24
MEDEIROS, Graziela Martins de; MEDEIROS, Marisa Bräscher Basilio. A indexação de
assunto em documentos arquivísticos: análise das definições internacionais com base na
revisão sistemática da literatura. RDBCI: Rev. Digit. Bibliotecon. Cienc. Inf, Campinas,
v.18, 1-28, 2020. Disponível em:
file:///D:/Users/Jefferson%20Higino/Downloads/8657824-Texto%20do%20artigo66172-1-10-20200305%20(6).pdf. Acesso: 08. jul. 2020.
MEDEIROS, Graziela Martins. Indexação em documentos arquivísticos: em busca de
aprofundamento teórico-metodológico. Tese (Doutorado em Ciência da Informação)
Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de
Pós-Graduação em Ciência da Informação, Florianópolis, 2019.
RODRIGUES, Ana Célia. Diplomática contemporânea como fundamento
metodológico da identificação de tipologia documental em arquivos. 2008. Tese
(Doutorado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciência Humanas da
Universidade de São Paulo (USP), São Paulo. 2008.
RODRIGUES, Ana Célia. Identificação: uma metodologia de pesquisa para a Arquivística.
In Estudos avançados em Arquivologia. Marília, São Paulo: Oficina Universitária; Cultura
Acadêmica, 2012, p. 197-215. Disponível em:
http://www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/estudos_avancados_Arquivologia.pdf
Acesso em: 20 dez. 2019.
RODRIGUES, Georgete Medleg. A representação da informação em arquivística: uma
abordagem a partir da perspectiva da norma internacional de descrição arquivística. In:
RODRIGUES, Georgete Medleg; LOPES, Ilza Leite. (Org.). Organização e representação do
conhecimento na perspectiva da ciência da informação. Brasília: Thesaurus, 2003, v. 2, p.
210-230.
RONDINELLI, Rosely Curi. O conceito de documento arquivístico frente à realidade
digital: uma revisitação necessária. 2011. Tese (Programa de Pós-Graduação em Ciência
da Informação) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2011.
RONDINELLI, Rosely Curi. O documento arquivístico ante a realidade digital: uma
revisão conceitual necessária. Rio de janeiro: Editora FGV, 2013. 280p.
SCHELLENBERG, Theodore Roosevelt. Arquivos modernos. Princípios e técnicas. Rio
de Janeiro: FGV, 2008.
SCHMIDT, Clarissa; SMIT, Johanna. Organização e representação da informação em
arquivos: uma análise a partir da função classificação. In: XII Congreso ISKO España y II
Congreso ISKO España-Portugal, 19-20 de noviembre, 2015, Organización del
conocimiento para sistemas de información abiertos. Murcia: Universidad de Murcia.
SILVA, Armando Malheiros da et al. Arquivística: teoria e prática de uma Ciência da
Informação. Porto: Afrontamento, 2002.
Jefferson Higino da Silva; Maria Elizabeth Baltar Carneiro de Albuquerque
25
SILVA, Jefferson Higino; MAIA, Manuela Eugênio Maia. Análise das produções científicas
acerca da representação da informação no campo da arquivologia. In: SANTOS, Eliete
Correia dos; CAVALHO, Ediane Toscano Galdino de; SILVA, Alzira Karla Araújo da.
(Orgs.). Seminário de Saberes Arquivísticos - SESA: Intercâmbio Cooperação
Acadêmica e Mediações Interdisciplinares. Campina Grande: EDUEPB, 2017, p. 25-46.
SOARES, Ana Paula Alves; PINTO, Adilson Luiz; SILVA, Armando Malheiro. O Paradigma
Pós-custodial na Arquivística. Páginas a&b, [S.l.], v..3, n. 4, p.22-39, 2015.
SOUSA, Renato Tarciso Barbosa de. Os princípios arquivísticos e o conceito de
classificação. In: RODRIGUES, Georgete Medleg; LOPES, Ilza Leite. (Orgs.). Organização e
representação do conhecimento na perspectiva da Ciência da Informação. Brasília:
Thesaurus, 2007. p. 240-271. Disponível em:
https://core.ac.uk/download/pdf/33529652.pdf . Acesso em: 03 ago. 2019.
SOUSA, Renato Tarciso Barbosa. Classificação de documentos arquivísticos: trajetória de
um conceito. Arquivística.net, Rio de Janeiro, v.2, n. 2, p 120-142, ago./dez. 2006.
Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/33535530.pdf. Acesso em 14 nov.
2018.
THOMASSEN, Theo. Uma primeira introdução à Arquivologia. Arquivo &
Administração, Rio de Janeiro, v.5, n.1, p.5-16, jan./jun. 2006.
TOGNOLI, Natália Bolfarini. A representação na arquivística contemporânea. RICI:
R.Ibero-amer. Ci. Inf., v. 5, n. 2, p. 79-92, jul./dez., 2012. Disponível em:
http://periodicos.unb.br/ojs248/index.php/RICI/article/view/7974/6580. Acesso em:
03 nov. 2018.
TOGNOLI, Natália Bolfarini. A representação na arquivística contemporânea. RICI:
R.Ibero-amer. Ci. Inf., v. 5, n. 2, p. 79-92, jul./dez., 2012. Disponível em:
http://periodicos.unb.br/ojs248/index.php/RICI/article/view/7974/6580. Acesso em:
03 nov. 2018.
TOGNOLI, Natália Bolfarini; GUIMARÃES, José Augusto Chaves Guimarães. Postmodern
Archival Science and Contemporary Diplomatics: new approaches for archival
knowledge organization. In: GNOLI, C.; MAZZOCCHI, F. (Eds.; Orgs.). Paradigms and
conceptual systems in knowledge organization. Würzburg: Ergon Verlag, 2010. p. 405-
411.
TOGNOLI, Natália Bolfarini; GUIMARÃES, José Augusto Chaves. A diplomática
contemporânea como base metodológica para organização do conhecimento
arquivístico: perspectivas de renovação a partir das ideias de Luciana Duranti. In:
CONGRESSO ISKO-ESPAÑA, 9., 2009, Valencia. Anais [...]. Valencia, 2009. p. 23-35.
TOGNOLI, Natália Bolfarini; RODRIGUES, Ana Célia; GUIMARÃES, José Augusto Chaves.
Definindo o conhecimento arquivístico: estruturas conceituais. Informação &
Informação, Londrina, v. 24, n.2, p. 58-75, maio/ago. 2019.
Jefferson Higino da Silva; Maria Elizabeth Baltar Carneiro de Albuquerque
26
VITAL, Luciane Paula. Representação temática de documento arquivístico: as
contribuições do modelo conceitual FRSAD. 2017. Tese (Doutorado em Ciência da
Informação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.
VITAL, Luciane Paula; MEDEIROS, Marisa Brascher Basilio. Representação temática de
documento arquivístico: em busca de especificidades. Em Questão, Porto Alegre, v. 25,
n. 1, p. 345-367, jan./abr. 2019. Disponível em:
https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/79870/50205. Acesso em: 15 dez. 2018.
VITORIANO, Marcia Cristina de Carvalho Pazin. Uma aproximação entre a Arquivologia e
Ciência da Informação: o uso dos conceitos de informação orgânica e informação
arquivística. Brazilian Journal of Information Science: Research Trends. 11:4 (2017)
p.57-66. Disponível em: file:///D:/Users/Jefferson%20Higino/Downloads/DialnetUmaAproximacaoEntreArquivologiaECienciaDaInformaca-6234792%20(1).pdf. Acesso
em: 14 jun. 2018.
YEO, Geoffrey. Debates em torno da descrição. In: EASTWOOD, Terry; MAC NELL,
Heather. (Orgs). Correntes Atuais do Pensamento Arquivístico. Tradução Anderson
Bastos Martins; revisão técnica Heloísa Liberalli- Belo Horizonte: Editora UFMG, 2017, p.
135-168.

Downloads

Publicado

2020-09-30

Como Citar

DA SILVA, J. H.; ALBUQUERQUE, M. E. B. C. de . A Organização e representação na Arquivologia: o fio de Ariadne dos arquivos. Archeion Online, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 68–94, 2020. DOI: 10.22478/ufpb.2318-6186.2020v8n1.55272. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/archeion/article/view/55272. Acesso em: 15 maio. 2021.

Edição

Seção

Artigos de Revisão