Governança de dados e o arquivista diplomatista

Autores

  • Lenora de Beaurepaire da Silva Schwaitzer UFES

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2318-6186.2023v11nEdição%20Especial.68956

Palavras-chave:

Governança de dados, Arquivista, Diplomática

Resumo

Artigo que problematiza a falta da participação de arquivista no Comitê Central de Governança de Dados e a carência de pesquisa sobre o tema na área da Arquivologia. Trata-se de pesquisa qualitativa, de natureza básica, com objetivo exploratório e descritivo. O artigo apresenta uma série de conceitos essenciais para compreensão sobre o tema central, e, com base em apostila da Enap, identifica os papéis que atuam na Governança de Dados. O artigo afirma que o arquivista diplomatista, com base nos conhecimentos que detém dos princípios e métodos da Arquivologia, do documento arquivístico e da Diplomática, está apto a assumir um papel estratégico na Governança de Dados. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAKAKI, A. C. S.; ARAKAKI, F. A. . Dados e metadados: conceitos e relações: concepts and relationships. Ciência da Informação, [S. l.], v. 49, n. 3, 2020. Disponível em: https://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5504. Acesso em: 23 nov. 2023.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

BARATA, André; PRADO, Edmir. Governança de Dados em Organizações Brasileiras. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SBSI), 11. , 2015, Goiânia. Anais [...]. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação, p. 267-274, 2015

BERLE, Adolf Augustus; MEANS, Gardiner Gardiner Coit. The modern corporation and private property. New Jersey; Transaction publishers, 1991.

BRASIL. Lei no 8.159, de 8 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8159.htm>. Acesso em: 25 de out. 2023.

CARVALHO, Rodrigo Baroni et al. Fatores-chave na implantação de ERPs: estudo de um caso problemático em uma média indústria. Revista Eletrônica de Sistemas de Informação, v. 8, n. 2, 2009.

COELHO NETO, Nilton José. Governança corporativa: teoria e benefícios de sua aplicação na gestão. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação, [S. l.], v. 7, n. 10, p. 512–522, 2021.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos. e-ARQ Brasil. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional. 2020.

COOK, Terry. Arquivologia e pós-modernismo: novas formulações para velhos conceitos. Informação Arquivística, Rio de Janeiro, RJ, v. 1, n. 1, p. 123-148, jul./dez. 2012

DELMAS, Bruno. O que é ser arquivista? In: DELMAS, Bruno. O que é arquivo? São Paulo: Instituto Fernando Henrique Cardoso, 2010.

DELMAS, Bruno. Por uma Diplomática contemporânea: novas aproximações

. In: Seminário: “Dar nome aos documentos: da teoria à prática”. 2013. São Paulo: Instituto Fernando Henrique Cardoso, 2015.

DURANTI. Diplomatics: new uses for an old Science. Lanhan, Maryland (EUA): Scarecrow Press, 1998.

DURANTI, Luciana. Rumo a uma teoria arquivística de preservação digital: as descobertas conceituais do projeto InterPARES. Revista Arquivo & Administração, Rio de Janeiro, v. 4, n. 5, p. 5-18, jan./jun. 2005.

DURANTI, Luciana. A forma dos documentos e sua crítica. In: ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Textos de apoio ao curso: Diplomática aplicada a documentos convencionais e digitais, ministrado de 11 a 14 de abril de 2005 no Arquivo Nacional. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2008.

ELMASRI, Ramez; NAVATHE, Shamkant B. Sistema de banco de dados. 6. ed. São Paulo: Addison Wesley, 2011

ESCOLA NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Governança de dados. Módulo 1. Brasília: Enap, 2019a

ESCOLA NACIONAL DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Governança de dados. Módulo 2. Brasília: Enap, 2019b

GIL, Antonio Carlos et al. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

IBGC. Governança Corporativa. Disponível em: https://www.ibgc.org.br/conhecimento/governanca-corporativa. Acesso em 01 nov. 2023

INTERPARES 2. Diretrizes do produtor. 2009a. Disponível em: < http://www.interpares.org/display_file.cfm?doc=creator_guidelines_booklet--portuguese.pdf>. Acesso em: 2 dec. 2023

INTERPARES 2. Diretrizes do preservador. 2009b. Disponível em: <http://www.interpares.org/display_file.cfm?doc=ip2_preserver_guidelines_booklet--portuguese.pdf>. Acesso em: 1 mar. 2011.

INTERPARES 3. Base de dados de terminologia do projeto InterPARES 3. [2007?]. Disponível em: <http://www.interpares.org/ip3/ip3_terminology_db.cfm>. Acesso em: 10 nov. 2013.

ITGI. Board briefing on IT governance. IT Governance Institute. 2006. Disponível em: <https://www.itgovernance.co.uk/files/download/Board_Briefing_on_IT_Governancev6.pdf > Acesso em: 3 dez. 2023

JARDIM, José Maria. As novas tecnologias e o futuro da Arquivologia. Estudo Históricos, v. 5, n. 10, p. 251-260, 1992.

JARDIM, José Maria. Governança arquivística: contornos para uma noção. Acervo: revista do Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, v. 31, n.3, p. 31-45, set./dez. 2018

KALLBERG, Maria. Archivists—A Profession in Transition?. Professions and Professionalism, [S. l.], v. 2, n. 1, 2012. Disponível em: https://journals.oslomet.no/index.php/pp/article/view/158. Acesso em: 26 nov. 2023.

KOSELLECK, Reinhart. Uma história dos conceitos: problemas teóricos e práticos. Revista Estudos Históricos, v. 5, n. 10, p. 134-146, 1992.

LUNARDI, Guilherme Lerch. Um estudo empírico e analítico do impacto da governança de TI no desempenho organizacional. Tese (doutorado em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008

MAHANTI, Rupa. Data governance and compliance. In: Data Governance and Compliance. Springer, Singapore, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1007/978-981-33-6877-4_5 Acesso em: 21 nov. 2023

MIRANDA, Roberto Campos da Rocha. Using information in strategic actions. Ciência da Informação, v. 28, n. 3, p. 286-292, 1999.

MULLER, Samuel; FEITH, Johan Adriaan; FRUIN, Robert. Manual de arranjo e descrição de arquivos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1973.

PÁEZ URDANETA, Iraset. Do que falamos quando falamos de informação?. Trad. Lídia Silva de Freitas. Publicado originalmente em INFOLAC, Caracas, v. 4, n. 1, p. 3- 5, mar. 1991Pagallo, U. (2013). The Law of Robots: Crimes, Contracts, and Torts. Springer.

PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro. Informação: esse obscuro objeto da ciência da informação. Revista Morpheus: Estudos Interdisciplinares em Memória Social, v. 3, n. 4, 2004.

PRODANOV, Cleber Cristiano; DE FREITAS, Ernani Cesar. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. Novo Hamburgo – RS: Editora Feevale, 2013.

REGO, Bergson Lopes. Governança de dados: promovendo dados como ativos de valor nas empresas. Rio de Janeiro: Brasport Livros e Multimedia Ltda, 2013.

ROB, Peter; CORONEL, Carlos. Sistemas de banco de dados: projeto, implementação e administração. São Paulo: Cengage Learning, c2011.

RONDINELLI, Rosely Curi. O documento arquivístico ante a realidade digital: uma revisão conceitual necessária. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013

ROUSSEAU, Jean-Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Dom Quixote, 1994

SETZER, Valdemar W.; SILVA, Flávio Soares Corrêa da. Bando de dados: aprenda o que são, melhore seu conhecimento, construa os seus. São Paulo: Edgard Blücher, 2005

SETZER, Valdemar W. Dado, informação, conhecimento e competência. DataGramaZero Revista de Ciência da Informação, n. 0, v. 28, 1999.

SCHELLENBERG, Theodore Roosevelt. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

SCHMIDT, Clarisse Moreira dos Santos. Arquivologia e a construção do seu objeto científico: concepções, trajetórias, contextualizações. Tese (Doutorado em Ciência da Informação)- Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SCHWAITZER, Lenora de Beaurepaire da Silva. Decisão judicial do TRF2 em formato digital: estudo de caso com base no projeto InterPares 3. Trabalho de Conclusão Curso (Bacharelado em Arquivologia)-Universidade Federal Fluminense,Niterói,RJ, 2013.

SCHWAITZER, Lenora de Beaurepaire da Silva. LGPD e arquivos permanentes. Archeion Online, v. 8, n. 2, 2020.

SCHWARTZMAN, Simon et al. Formação da comunidade científica no Brasil. São Paulo: Financiadora de Estudos e Projetos, 1979.

TOGNOLI, Natália Bolfarini. A construção teórica da diplomática: em busca da sistematização de seus marcos teóricos como subsídio aos estudos arquivísticos. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade Estadual Paulista, Marília-SP, 2013.

WEILL, P., ROSS, J. W. IT governance: How top performers manage IT decision rights for superior results. Boston: Harvard Business Press, 2004

YEO, Geoffrey. Concepts of record (1): evidence, information, and persistent representations. The American Archivist, v. 70, n. 2, p. 315-343, 2007.

Downloads

Publicado

29-12-2023

Como Citar

DE BEAUREPAIRE DA SILVA SCHWAITZER, L. . Governança de dados e o arquivista diplomatista. Archeion Online, [S. l.], v. 11, n. Edição Especial, p. p.65–85, 2023. DOI: 10.22478/ufpb.2318-6186.2023v11nEdição Especial.68956. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/archeion/article/view/68956. Acesso em: 15 abr. 2024.