Morfobiometria de frutos e sementes de <i>Schizolobium amazonicum</i> Huber ex Ducke

  • Fabricio Vieira Dutra Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Adriana Dias Cardoso Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Reginaldo Muniz da Silva Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Raelly da Silva Lima Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Otoniel Magalhães Morais Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Mariana Costa Rampazzo Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Resumo

A espécie Shizolobium amazonicum (paricá) vem sendo bastante cultivada nas regiões Norte e Nordeste do Brasil por apresentar rápido crescimento e potencial no setor madeireiro. Diante disto, objetivou-se com o presente estudo avaliar a biometria de sementes e frutos de paricá. Frutos maduros foram coletados na copa de árvores matrizes, escolhidas aleatoriamente e localizadas em áreas urbanas, no mês de dezembro de 2015. A biometria dos frutos e das sementes foi realizada no Laboratório de Tecnologia e Produção de Sementes, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia campus de Vitória da Conquista, onde foram avaliadas, a partir de mensurações, o comprimento, largura e espessura, expressa em milímetros. O comprimento foi determinado, com auxílio de régua, a largura e espessura com uso de paquímetro digital, com precisão de 0,05 mm. Os dados foram submetidos à análise estatística descritiva e para cada característica foram calculados a média, o desvio padrão e a variância. As sementes e os frutos de paricá apresentaram maior homogeneidade quanto ao comprimento, largura e espessura indicando maior potencial genético da espécie.

Biografia do Autor

Fabricio Vieira Dutra, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Discente do curso de Engenharia Agronômica, bolsista de iniciação científica da FAPESB/UESB.
Adriana Dias Cardoso, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Pesquisadora da CAPES/PNPD. Pós- Doutora em Fitotecnia, pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia pela Doutora em Fitotecnia pela Universidade Federal de Lavras, Mestre em Agronomia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.
Reginaldo Muniz da Silva, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Discente do curso de Engenharia Agronômica, bolsista de iniciação científica da FAPESB/UESB.
Raelly da Silva Lima, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Agronomia, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB
Otoniel Magalhães Morais, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Professor pleno da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB, Doutor em Fitotecnia
Mariana Costa Rampazzo, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Discente do curso de Engenharia Agronômica, bolsista de iniciação científica.
Publicado
2017-07-27
Seção
Agronomia