O humor na midiatização da religião

Baby do Brasil entre o gospel e o secular

Autores

  • Míriam Cristina Carlos Silva
  • Profa. Isabella Pichiguelli Universidade de Sorocaba

DOI:

https://doi.org/10.22478/ufpb.2763-9398.2021v14n.57217

Palavras-chave:

Comunicação e Cultura, Midiatização da Religião, Humor, Baby do Brasil

Resumo

Este artigo busca compreender as situações comunicacionais nas quais o humor emerge nas narrativas midiáticas da artista Baby do Brasil, que transita entre as culturas gospel (religiosa) e secular. Metodologicamente, partimos de pesquisa exploratória sobre as narrativas midiáticas de Baby do Brasil e propomos uma leitura dessas narrativas à luz dos conceitos de antropofagia, carnavalização e midiatização da religião. Para tanto, utilizamos autores como Oswald de Andrade, Mikhail Bakhtin, Robert Stam, Vladimir Propp, Luís Mauro Sá Martino e Jorge Miklos. O principal resultado aponta que o humor se configura como processo intrínseco e confirmador da antropofagia e da carnavalização promovida por Baby do Brasil em uma via de mão dupla: tanto de cristianização do secular e quanto de profanação do gospel.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Míriam Cristina Carlos Silva

Pós doutora em Comunicação Social. Doutora em Comunicação e Semiótica. Professora titular do mestrado em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba.

Profa. Isabella Pichiguelli, Universidade de Sorocaba

Doutoranda e mestra em Comunicação e Cultura pela Universidade de Sorocaba.

Referências

ALMEIDA, M. Baby do Brasil comemora 60 anos e volta aos palcos. Youtube, 28 out. 2012. Disponível em: https://url.gratis/wDGGj. Acesso em: 22 de junho de 2018.

AMARAL, A.; SOARES, T.; POLIVANOV, B. Disputas sobre performance nos estudos de Comunicação: desafios teóricos, derivas metodológicas. Revista Intercom, São Paulo, v. 41, n. 1, p. 63-79, Jan. 2018.

ANDRADE, O. O santeiro do mangue e outros poemas. São Paulo: Globo, 1991.

ANDRADE, O. Manifesto antropófago e manifesto da poesia pau-brasil. In: TELES, G. M. Vanguarda européia e modernismo brasileiro: apresentação e crítica dos principais manifestos vanguardistas. 3ª. ed. Brasília: Vozes, 1976.

BAKHTIN, M. A cultura popular na idade média e no renascimento: o contexto de François Rabelais. Tradução de Yara Frateschi Vieira. São Paulo: HUCITEC, 1987.

BAKHTIN, M. Estética da Criação Verbal. 2ª. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BRASIL, B. Baby do Brasil – Estúdio MTV (Show Completo). Youtube, 12 dez. 2017. Disponível em: https://url.gratis/4n0WW. Acesso em: 22 de junho de 2018.

CANGUÇU, C. F. A construção narrativa e plástica do filme Matrix. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 2008. Dissertação de Mestrado em Comunicação e Cultura Contemporâneas. Disponível em: https://url.gratis/Ph1ZV. Acesso em: 31 de maio de 2016.

CASTRO, M. Baby do Brasil e Pedro Baby se apresentam no Sarau (Parte 1 de 2). Youtube, 10 abr. 2013. Disponível em: https://url.gratis/P1o1r. Acesso em: 22 de junho de 2018.

CUNHA, M. N. Do Púlpito às Mídias Sociais. Curitiba: Editora Prismas, 2017.

ESTADÃO. 'Não deixei de ser a pessoa que sou', diz Baby do Brasil. Youtube, 1 fev. 2013. Disponível em: https://url.gratis/75zEq. Acesso em: 22 de junho de 2018.

LANE, W. L. Reflexões sobre a cidade a partir de 1 Pedro. Via Teológica, v. 19, n. 37, p. 109-122, maio de 2019.

LEAL, B. S.; VAZ, P. B; ANTUNES, E. De quem é a agenda? In: BENETTI, M.; FONSECA, V. P. S. Jornalismo e acontecimento: mapeamentos críticos. Florianópolis: Insular, 2010.

MARTINO, L. M. S. Mídia, religião e sociedade: das palavras às redes digitais. São Paulo: Paulus, 2016.

MARTINO, L. M. S. Midiatização da religião e secularização: pensando as práticas religiosas no ambiente das mídias. PAULUS, v. 1, n. 1, p. pag. 97-108, 16 jan. 2017.

MIKLOS, J. Religião midiatizada e ciberespaço: perspectivas teórico-crítica para os campos acadêmico e midiático. In: Congresso Ibero-Americano de Comunicação, XIV, mar./abr., 2015, São Paulo. Anais Ibercom 2015. São Paulo: ECA-USP, 2015. p. 3451-3461.

MUSICABR, P. Por Acaso no Rival – Baby do Brasil e Maria Gadú (Parte 4/5). Youtube, 22 dez. 2016. Disponível em: https://url.gratis/58hfN. Acesso em: 22 de junho de 2018.

PICHIGUELLI, I. Para além do gospel e secular. Alumínio, SP: Jogo de Palavras, 2019.

POSTALI, T.; PICHIGUELLI, I. O humor de Danilo Gentili e as narrativas de senso comum: uma análise a partir de Umberto Eco. In: SILVA et al. (Orgs.). Umberto Eco em Narrativas. Votorantim-SP: Provocare, 2017. p. 381-403.

PROPP, V. Comicidade e Riso. São Paulo: Ática, 1992. 215 p.

ROCK, B. & C. BANDA GLÓRIA & BABY DO BRASIL - 17/02/2015 - Show Completo - Largo da Batata - São Paulo. Youtube, 19 fev. 2015. Disponível em: https://url.gratis/P06pV. Acesso em: 22 de junho de 2018.

RODRIGUES, J. C. Ventura e desventura da carnavalização. In: RODRIGUES, J. C. Imaginários e dramas sociais: estudos de significação. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2015.

SECULAR. In: AULETE, Dicionário Online de Português. Lexicon Editora Digital, 2021. Disponível em: www.aulete.com.br/secular. Acesso em: 29 de março de 2021.

SANTOS, B. de S. Construindo as Epistemologias do Sul: Antologia Essencial. Buenos Aires: CLACSO, 2018.

SILVA, M. C. C. Comunicação e Cultura Antropofágicas: mídia, corpo e paisagem na erótico-poética oswaldiana. Porto Alegre - Sorocaba: Sulina - EDUNISO, 2007.

SILVA, M. C. C. O Infiltrado: narrativas midiáticas e uma poética antropofágica. Galaxia, São Paulo, v. 30, p. 125-137, dezembro 2015.

SOUZA, R. M.; MIKLOS, J. Da autorrenúncia altruísta ao culto narcisista: uma mudança de paradigma na cultura religiosa midiatizada. REVER, v. 20, n. 1, p. 233-245, jan./abr. 2020.

STAM, R. Bakhtin: Da teoria literária à cultura de massa. São Paulo: Editora Ática S.A., 1992.

VARGAS, H. Tinindo trincando: contracultura e rock no samba dos Novos Baianos. Contemporânea - Revista de Comunicação e Cultura, Salvador, v. 9, n. n. 3, p. 461 -474, setembro-dezembro 2011.

Downloads

Publicado

2021-07-21

Como Citar

CARLOS SILVA, M. C.; PICHIGUELLI, I. O humor na midiatização da religião: Baby do Brasil entre o gospel e o secular. Culturas Midiáticas, [S. l.], v. 14, p. 19, 2021. DOI: 10.22478/ufpb.2763-9398.2021v14n.57217. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/cm/article/view/57217. Acesso em: 5 dez. 2021.